Italianos serão proibidos de sair dos seus municípios no Natal e Ano Novo

O intuito do Ministério da Saúde é limitar as reuniões com grande número de pessoas e, assim, evitar uma nova onda de contaminações pelo coronavírus

  • Por Jovem Pan
  • 02/12/2020 11h41
EFE/EPA/PAOLO SALMOIRAGOApesar das decorações de Natal já estarem preenchendo as vitrines de Milão, Itália viverá um final de ano diferente por causa da Covid-19

Nesta quarta-feira, 2, o Ministério da Saúde da Itália afirmou que será proibido deixar o próprio município durante o Natal e o Ano Novo. O objetivo é evitar as grandes reuniões de pessoas e, consequentemente, uma nova onda de contaminações pelo coronavírus. O ministro Roberto Speranza esclareceu ainda que as atuais restrições de circulação entre regiões devem continuar em vigor ao longo do mês de dezembro e que “a Itália desincentivará as viagens internacionais” durante todo o período de férias. “Não será um Natal como qualquer outro, mas será uma contribuição de todos para ajudar a prevenir a propagação do vírus e para aliviar a carga sobre as instalações de saúde”, justificou. Nas últimas 24 horas, a Itália registrou 785 mortes por Covid-19 e 19.350 novos casos da doença.

“Para estabilizar os primeiros bons resultados, precisamos de outras semanas de sacrifícios e depois de outras semanas de manutenção. A propagação ainda é muito alta, temos que ter cuidado para não interpretar um primeiro raio de sol como um fim de tudo isso. Não tenhamos ilusões, se baixarmos a guarda, a terceira onda vai dobrar a esquina”, continuou Speranza. O Ministério da Saúde da Itália também afirmou que o retorno às escolas para alunos do ensino médio está sendo preparado, apesar de nenhuma data ter sido anunciada ainda. Existe um debate sobre permitir o retorno já em dezembro ou esperar até depois das férias de Natal.

*Com informações da EFE