Johnson & Johnson suspende teste com vacina da Covid-19 após doença em participante

No Brasil, sete mil voluntários participam do ensaio clínico comandado pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

  • Por Jovem Pan
  • 13/10/2020 05h43 - Atualizado em 13/10/2020 05h51
REUTERS/Dado Ruvic//File PhotoAo todo, cerca de 60 mil pessoas participam das etapas para testagem do possível imunizante da Johnson & Johnson

A multinacional Johnson & Johnson anunciou nesta segunda-feira, 12, que suspendeu os ensaios clínicos de uma vacina contra a Covid-19 após um dos participantes apresentar uma “doença  inexplicada”. Segundo a empresa, o caso está sendo analisado pelo Conselho de Monitoramento de Segurança de Dados independente ENSEMBLE (DSMB) e por médicos da companhia. A farmacêutica não deu maiores detalhes sobre o caso “para respeita a privacidade do participante”.

A empresa reforçou  a diferença de uma pausa no estudo de uma “retenção regulatória de um ensaio clínico”. Segundo eles, a paralisação dos testes, nesses casos, “é um componente padrão de um protocolo de ensaio clínico”. Já a retenção regulatória seria a suspensão por determinação de autoridades regulatórias de saúde. O imunizante foi desenvolvido pela farmacêutica Janssen Pharmaceuticals, que pertence ao grupo Johnson & Johnson.

Em 23 de setembro, o Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos (NIH, em inglês), começaram o recrutamento de voluntários adultos para o quarto ensaio clínico da Fase 3 da possível vacina. Ao todo, cerca de 60 mil pessoas participam das etapas para testagem do possível imunizante da Johnson & Johnson. No Brasil, a Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) comanda os estudos clínicos no país com sete mil participantes.