Justiça dos EUA proíbe expulsão de crianças imigrantes desacompanhadas

Fonte ligada à Patrulha das Fronteiras afirma que 8.800 menores desacompanhados foram detidos enquanto tentavam cruzar para o território norte-americano

  • Por Jovem Pan
  • 20/11/2020 17h00 - Atualizado em 20/11/2020 17h01
EFE/EPA/Oliver Contreras / POOLDonald Trump foi bastante questionado sobre o tema em entrevistas e debates durante a sua campanha à reeleição

Nesta quarta-feira, 18, um juiz federal dos Estados Unidos bloqueou a expulsão de crianças desacompanhadas dos pais ou responsáveis que foram detidas enquanto tentavam entrar no território norte-americano. A decisão foi de Emmet Sullivan, do Distrito de Columbia, que considerou que os menores poderiam sofrer danos irreparáveis caso voltassem aos seus países de origem, como abusos sexuais, torturas ou outras formas de violência. O tema amplamente abordado durante a campanha de Donald Trump à reeleição, já que o seu governo implementou rígidas regras de combate à imigração ilegal durante a pandemia de coronavírus.

Um oficial da Patrulha de Fronteira dos Estados disse, durante uma ação judicial em setembro, que 8.800 menores desacompanhados foram expulsos entre 20 de março e 9 de setembro deste ano, durante a vigência das regras. Lee Gelernt, advogado da American Civil Liberties Union (Aclu), que representou os migrantes no processo, disse que a política era um pretexto para Trump fechar a fronteira a crianças e requerentes de asilo da América Central.

*Com informações de agências internacionais