Maduro pede cooperação do Brasil para controlar Covid-19 nas fronteiras da Venezuela

O governo venezuelano vem responsabilizando migrantes que retornam ao país por meios ilegais pela expansão da doença e os rotula como ‘bioterroristas’

  • Por Jovem Pan
  • 01/08/2020 11h54 - Atualizado em 01/08/2020 11h55
EFE/ Rayner PeñaNicolás Maduro pediu a ajuda de Brasil e Colômbia para combater a Covid-19 nas fronteiras da Venezuela

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, pediu nesta sexta-feira (31) aos governos de Brasil e Colômbia para que trabalhem em conjunto no combate à Covid-19 nas áreas de fronteira. “Como gostaríamos (…) de ter uma coordenação efetiva com as autoridades governamentais e autoridades de saúde”, disse Maduro, durante a inauguração de um hospital de campanha, sobre uma eventual parceria com os dois países com os quais a Venezuela tem suas maiores fronteiras e que não o reconhecem como chefe de governo – e sim o opositor Juan Guaidó, considerado por ambos como presidente interino. Maduro também declarou que a Venezuela pediu ajuda à Organização Mundial da Saúde (OMS) e à Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) para coordenar as “políticas de proteção à saúde” nas duas fronteiras.

Pouco antes, o presidente venezuelano havia criticado o governo da Colômbia, que, segundo ele, “está tomando medidas tardias, mas as está tomando” para conter a expansão da pandemia. “Se tivéssemos apoio sanitário do lado colombiano [da fronteira], outro galo cantaria, não haveria este problema dos criminosos, ‘trocheros’ da Colômbia”, disse o governante, usando um termo para definir conhecedores de trilhas alternativas para cruzar fronteiras e que levam pessoas a atravessá-las irregularmente. O governo Maduro vem responsabilizando migrantes que retornam à Venezuela por meios ilegais pela expansão da Covid-19 no país e os rotula como “bioterroristas”. Entretanto, a oposição denunciou que muitos dos que querem voltar não podem fazê-lo porque o governo estabeleceu uma cota diária de retornos permitidos. Além disso, em diversas ocasiões Maduro classificou o Sars-CoV-2, causador da Covid-19, como um “vírus colombiano”.

Ele também pediu nesta sexta-feira “ao povo colombiano que force seu governo a ser sensato” para coordenar com as autoridades sanitárias, governamentais, cívicas, militares e policiais venezuelanas “para poder conter este vírus e poder proteger toda a população na fronteira”. Maduro havia feito um apelo semelhante no início da pandemia, o que originou uma reunião por teleconferência entre os ministros da Saúde Carlos Alvarado, da Venezuela, e Fernando Ruiz, da Colômbia. O representante da Opas na Venezuela, Gerardo de Cosío, também participou e discutiu a estratégia para conter a pandemia e proteger a saúde da população mais vulnerável, de acordo com o governo colombiano.

*Com EFE