EUA anunciam novo acordo bilionário para compra de vacinas da Covid-19

A decisão é uma iniciativa do governo norte-americano para garantir vacinas aos Estados Unidos assim que a eficácia for comprovada

  • Por Jovem Pan
  • 01/08/2020 07h59 - Atualizado em 01/08/2020 08h00
REUTERS/Dado Ruvic//File PhotoNa semana passada, os Estados Unidos anunciaram a compra de 100 milhões de doses da vacina que está sendo produzida pela Pfizer em parceria com a BioNTech

Os Estados Unidos fecharam um acordo de US$ 2 bilhões com a Sanofi e a GSK para garantir 100 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 que as empresas estão produzindo. Uma parte do dinheiro vai para ampliar a produção e distribuição das doses, a outra, deve ajudar a financiar os estudos clínicos. As empresas devem começar os testes em humanos no mês de setembro. Na semana passada, os Estados Unidos anunciaram a compra de 100 milhões de doses da vacina que está sendo produzida pela Pfizer em parceria com a BioNTech. As negociações fazem parte da operação Warp speed. Essa é uma iniciativa do governo norte-americano para garantir vacinas aos Estados Unidos assim que a eficácia for comprovada. Por isso, as compras acontecem enquanto as vacinas ainda estão em fase de testes. A ideia é já produzir as doses e distribuir quando ficar comprovado o funcionamento, em vez de esperar o resultado dos testes e só então começar a produção em maior escala.

Na sexta-feira, 31, o Congresso dos Estados Unidos ouviu especialistas em saúde sobre a situação da pandemia no país. O diretor do Instituto Nacional de alergia e doenças infecciosas Anthony Fauci, disse que não há uma garantia de que haverá uma vacina segura e eficaz, mas com base nos dados das pesquisas feitas até agora, ele está cautelosamente otimista de que haverá sim uma vacina contra a Covid-19 entre o final do ano e o começo de 2021.

Durante a audiência, democratas e republicanos fizeram perguntas de cunho político aos especialistas em saúde. Democratas queriam saber sobre medidas de prevenção que Donald Trump deveria ter tomado, enquanto republicanos citavam dados mostrando que o cenário poderia ser ainda pior se o governo não tivesse tomado determinadas decisões. Um deputado republicano insistiu várias vezes em uma pergunta ao Dr. Anthony Fauci: ele queria saber se o médico recomenda a proibição dos protestos já que podem ajudar na disseminação do vírus. Fauci disse apenas que as pessoas deveriam ficar longe de multidões, não importa onde elas estejam. Os Estados Unidos já registraram mais de 4.500.000 casos da Covid-19. Ao todo, mais de 153.000 pessoas já morreram por causa da doença no país.

*Com informações da repórter Mariana Janjácomo