Manifestantes voltam às ruas contra líderes iranianos pelo segundo dia

  • Por Jovem Pan
  • 12/01/2020 14h59
EFE/EPA/ABEDIN TAHERKENAREH"Eles estão mentindo que o nosso inimigo é a América, nosso inimigo está aqui", gritava um grupo

O domingo (12) foi marcado por novos protestos ao redor do Irã, aumentando a pressão sobre os líderes do país, depois que as forças militares admitiram que derrubaram por engano um avião ucraniano no momento em que Teerã temia ataques aéreos dos Estados Unidos. É o segundo dia consecutivo de manifestações no país.

“Eles estão mentindo que o nosso inimigo é a América, nosso inimigo está aqui”, gritava um grupo de manifestantes do lado de fora de uma universidade em Teerã, segundo vídeos publicados nas redes sociais. Dezenas de manifestantes foram mostrados perto de outra universidade na capital e em protestos em outras cidades.

Moradores do Irã disseram que a polícia estava com forte presença nas ruas da capital neste domingo. No sábado, lançou gás lacrimogêneo em milhares de manifestantes na capital, onde muitos cantaram “Morte ao ditador”, direcionando a raiva ao líder supremo da República Islâmica, o aiatolá Ali Khamenei.

“Peça desculpas e renuncie”, escreveu o jornal moderado iraniano Etemad, em sua manchete, dizendo que a “exigência do povo” era a renúncia dos responsáveis pela má condução da crise do avião.

A nova escalada é mais um desafio para as autoridades, que lançaram uma sangrenta repressão a protestos em novembro. Os líderes também estão sofrendo para manter o andamento da economia devido a rigorosas sanções impostas pelos Estados Unidos.

O presidente dos EUA, Donald Trump, tuitou: “Aos líderes do Irã – não matem seus manifestantes. Milhares já foram mortos ou presos por vocês, e o mundo está observando”.

*Com Estadão Conteúdo