Michelle Obama critica campanha de Trump: ‘Moralmente errada e racista’

Michelle alertou que o presidente é bom em usar a divisão, o medo e ‘espalhar mentiras’ como ferramentas para vencer

  • Por Jovem Pan
  • 06/10/2020 15h39
Elza Fiúza/ABrMichelle Obama é ex-primeira-dama dos EUA

A ex-primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, disparou críticas contra o atual presidente, Donald Trump, especialmente a respeito da campanha que o republicano está fazendo para tentar se reeleger. Em comentários no Twitter, na manhã desta terça-feira, 6, a mulher do ex-mandatário, Barack Obama, disse que o republicano está “alimentando temores sobre negros e pardos americanos” para ganhar uma eleição e chamou as ações do líder norte-americano de “moralmente erradas” e “racistas”. As críticas de Michelle fazem referência às declarações de Trump contra as manifestações antirracistas que eclodiram no país nos últimos meses.

“Eles estão alimentando temores sobre os americanos negros e pardos, mentindo sobre como as minorias irão destruir os subúrbios, aumentando a violência e a intimidação – e eles estão atribuindo tudo ao que tem sido um movimento esmagadoramente pacífico pela solidariedade racial.”Então, o que o presidente está fazendo é, mais uma vez, patentemente falso. É moralmente errado e, sim, é racista. Mas isso não significa que não funcionará”, detonou Michelle Obama.

Michelle alertou que o presidente é bom em usar a divisão, o medo e “espalhar mentiras” como ferramentas para vencer, enquanto faz um apelo por empatia como mulher negra. “Quero que todos que ainda estão indecisos pensem em todas essas pessoas como eu e meus ancestrais”, disse ela, “os milhões de pessoas que se parecem comigo e lutaram, morreram e trabalharam como escravos, soldados e trabalhadores para ajudar a construir este país. Racismo, medo, divisão, essas são armas poderosas”, advertiu Obama, “E eles podem destruir esta nação se não lidarmos com eles de frente”, disse.

Na rede social, ela também pediu aos seguidores que votem em Joe Biden, candidato à presidência pelo Partido Democrata. As eleições americanas estão marcadas para o dia 3 de novembro – até lá, os rivais podem se encontrar em dois debates, desde que Trump se recupere completamente da infecção pelo novo coronavírus.