New Hampshire realiza primárias republicanas nesta terça com Trump à frente de Nikki Haley

Se as previsões se confirmarem, o ex-presidente será escolhido para representar o partido Republicano na corrida à Casa Branca pela terceira vez consecutiva; democratas também fazem as prévias hoje

  • Por da Redação
  • 23/01/2024 10h24
TIMOTHY A. CLARY / AFP - JOE RAEDLE / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP primárias republicanas Donald Trump e Nikki Haley disputam candidatura à presidência dos Estados Unidos pelo Partido Republicano

New Hampshire, nos Estados Unidos, vota nesta terça-feira, 23, para escolher qual será o candidato republicano para concorrer à presidência do país nas eleições deste ano, marcadas para novembro. O ex-líder norte-americano, Donald Trump, que venceu em Iowa, com 51%, é apontado como o favorito para se consagrar como o representante do partido, princialmente após a desistência de Ron DeSantis, governador da Flórida, da corrida eleitoral. Com a decisão, ele passou a apoiar Trump. Essas mudanças de última hora da disputa favorecem o magnata. As pesquisas para as primárias republicanas indicam que Trump amplia cada vez mais sua vantagem sobre Nikki Haley, sua única rival que ainda pode desafiá-lo. Se as previsões se confirmarem, o ex-presidente será escolhido para representar o partido Republicano na corrida à Casa Branca pela terceira vez consecutiva. Apesar dos problemas judiciais e contestações legais à sua candidatura, Trump parece caminhar para mais uma vitória.

cta_logo_jp
Siga o canal da Jovem Pan News e receba as principais notícias no seu WhatsApp!

De acordo com a média do agregador de pesquisas FiveThirtyEight, Trump tem 50,8% das intenções de voto, enquanto Haley aparece com 36,6%. New Hampshire é um Estado com tradição política mais moderada e uma legislação eleitoral que permite a participação de independentes nas primárias. Esse público é considerado favorável a Haley, que tenta conquistar os eleitores receosos com a volta de Trump ao poder. Para a ex-governadora da Carolina do Sul, New Hampshire é decisivo.  Um bom desempenho de Haley depende do engajamento dos eleitores independentes, mas a expectativa é que a base Maga, que apoia Trump, tenha uma participação expressiva nas primárias.

Na noite desta segunda-feira, 22, Trump participou de um comício em Laconia, em New Hampshire, acompanhado por empresários e políticos que declararam apoio a ele. Haley, por sua vez, conta apenas com o endosso de Asa Hutchinson, que saiu da corrida com menos de 1% dos votos. Nas primárias de Iowa, ela terminou em terceiro lugar, com 19%. Haley se comprometeu a permanecer na corrida até as primárias da Carolina do Sul e a Super Terça, em 5 de março, independentemente do que aconteça nas primárias de New Hampshire nesta terça-feira. Para conseguir angariar votos, a republicana partiu para uma rodada final de ataques pessoais nos últimos dias, mirando a idade e a aptidão mental de Trump.

Ela argumentou que, ao lidar com as pressões da Presidência, não se pode ter alguém que questionamos se está mentalmente apto para o cargo. O magnata, por sua vez, tem cometido confusões, como confundir Haley com a ex-presidente da Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi. A ex-governadora aproveitou o erro para relembrar às vezes em que o empresário afirmou que concorreu contra Barack Obama, algo que nunca aconteceu. Outra alternativa que tem sido utilizada pelos rivais de Trump, é olhar para a fronteira norte dos Estados Unidos. A ex-governadora da Carolina do Sul, enfatiza a necessidade de reforçar a fiscalização não apenas na fronteira sul, mas também na fronteira norte. Ela afirmou que, se necessário, construiria um muro ou qualquer tipo de patrulha de fronteira para manter as pessoas fora do país.

primárias eua

A questão da fronteira sul tem sido um tema importante para o eleitorado americano e tem afetado a aprovação do presidente Joe Biden. O Partido Republicano tem defendido o fim das políticas de santuário, repressões militarizadas aos cartéis de drogas e deportações em massa. No entanto, a preocupação com a fronteira norte, como em New Hampshire, tem frustrado algumas pessoas que vivem lá, pois não estão acostumadas a serem parte do debate nacional sobre imigração. O governador de New Hampshire, Chris Sununu, anunciou um aumento nas patrulhas ao longo da fronteira norte, pois a maioria dos deslocamentos de pessoas na lista de monitoramento de terroristas vem dessa região. As detenções de pessoas que entraram ilegalmente na área de New Hampshire, Vermont e partes do norte do estado de Nova York atingiram os níveis mais altos em pelo menos 16 anos.

Primárias Democratas

Além dos republicanos, os democratas também realizam uma primária em New Hampshire nesta terça-feira. No entanto, a direção nacional do partido não reconhece essa primária, pois o calendário democrata foi alterado para que as primárias começassem pela Carolina do Sul, em um aceno ao eleitorado negro. Iowa e New Hampshire perderam precedência. O nome de Joe Biden, presidente dos Estados Unidos, nem sequer está na cédula em New Hampshire. Dean Phillips, que desafiou o atual presidente para ser o candidato do partido, investiu milhões do seu próprio bolso na primária e busca um apoio na casa dos 30% para que sua candidatura seja levada a sério. Por outro lado, aliados de Biden organizaram uma campanha para que os eleitores escrevam à mão o nome do presidente, na esperança de que ele vença o pleito mesmo sem estar oficialmente inscrito na primária. Há também um terceiro concorrente: o cessar-fogo. Críticos do apoio dado por Biden a Israel na guerra contra o Hamas pedem que os eleitores escrevam essa palavra como forma de protesto.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários

Conteúdo para assinantes. Assine JP Premium.