OMS aprova uso emergencial da vacina indiana Covaxin

Imunizante é recomendado para pessoas com mais de 18 anos e administrado em regime de duas doses, com intervalo de quatro semanas

  • Por Jovem Pan
  • 03/11/2021 09h59 - Atualizado em 03/11/2021 10h03
EFE / Rajat Gupta / Archivo Vacina Covaxin contra a Covid-19 OMS informou ainda que a eficácia da vacina é de 78% após 14 dias ou mais da segunda aplicação

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aprovou nesta quarta-feira, 3, o uso emergencial da vacina Covaxin. Produzido pela farmacêutica indiana Bharat Biotech, o imunizante contra a Covid-19 é administrado em regime de duas doses, com intervalo de quatro semanas, em pessoas com mais de 18 anos. Segundo comunicado da entidade, análise do Grupo Técnico Consultivo apontou que a vacina atende aos padrões da OMS para proteção contra a Covid-19, que o benefício da vacina supera em muito os riscos e a vacina pode ser usada”. Com a aprovação da Covaxin, a lista de imunizantes aprovados pela entidade de saúde chega a sete e inclui compostos da Pfizer; Moderna; Oxford/AstraZeneca; Johnson & Johnson; a CoronaVac, da Sinovac Biotech, e a Sinopharm. A aprovação possibilita que a vacina seja distribuída pelo Covax Facitily, iniciativa da entidade para distribuição dos compostos aos países mais pobres.

A OMS informou ainda que a eficácia da vacina é de 78% após 14 dias ou mais da segunda aplicação, sendo considerada uma alternativa imunológica “extremamente adequada para países de baixa e média renda devido aos requisitos de fácil armazenamento”. No Brasil, a Covaxin chegou a ser negociada pelo governo federal para aquisição de 20 milhões de doses. No entanto, após suspeitas de irregularidades e superfaturamento, abordados pela CPI da Covid-19, as tratativas foram suspensas.