OMS nomeia variantes do coronavírus com letras do alfabeto grego; brasileira se chamará ‘Gamma’

Segundo a Organização, uso dos nomes facilitará a disseminação de informações sobre as cepas com o público não científico

  • Por Jovem Pan
  • 01/06/2021 19h26 - Atualizado em 01/06/2021 21h07
Reprodução/Instagram/iec_br/23.05.2021Variantes indiana, sul-africana e britânica também receberam novas nomenclaturas

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou que irá nomear as variantes do novo coronavírus com letras do alfabeto grego. A informação foi dada nesta segunda-feira, 31, pela entidade. Com isso, a cepa identificada em Manaus, atualmente chamada de P.1, passará a se chamar “Gamma”. A variante do Reino Unido será chamada de “Alpha”, a da África do Sul será a “Beta” e a da Índia receberá o nome de “Delta”. Segundo a OMS, a mudança na nomenclatura fará com que as informações sobre as cepas sejam mais facilmente discutidas pelo público não científico e irá evitar que elas sejam associadas a um país ou região. Nesta terça-feira, 1º, a OMS solicitou a reavaliação de um estudo que sugere que o coronavírus já estava circulando antes do primeiro caso ter sido identificado na China, em dezembro de 2019. A pesquisa foi publicada no ano passado e sugere que anticorpos para a Covid-19 foram detectados na Itália em outubro, ou seja, dois meses antes. As conclusões levaram a mídia estatal chinesa a sugerir que a doença pode não ter se originado na China, mas os cientistas italianos defendem que as evidências levantam questões sobre quando o vírus surgiu, e não onde.