Papa Francisco aprova novas leis contra a corrupção dentro do Vaticano

Os funcionários da sede da Igreja Católica não podem ter dinheiro em paraísos fiscais e aceitar presentes de mais de 40 euros, além de garantir que nunca foram investigados por crimes financeiros

  • Por Jovem Pan
  • 29/04/2021 12h27 - Atualizado em 29/04/2021 15h29
EFE/EPA/VATICAN MEDIA HANDOUTO Papa Francisco já tinha aprovado algumas leis anticorrupção em 2020, que foram ampliadas nesta quinta-feira, 29

O Papa Francisco publicou nesta quinta-feira, 29, uma série de regras que visam combater a corrupção dentro do Vaticano. Em primeiro lugar, os funcionários da Santa Sé devem assinar um documento garantindo que nunca foram investigados ou condenados por fraude, lavagem de dinheiro, evasão de impostos e exploração de trabalho infantil. Além disso, eles não podem ter dinheiro nos chamados “paraísos fiscais” ou ações e títulos em empresas que possuem políticas consideradas contrárias às doutrinas da Igreja Católica. Por fim, também ficou proibido que todos os trabalhadores do Vaticano aceitem presentes de mais de 40 euros que tenham sido dados por causa do seu cargo. As novas medidas valem para os cardeais que mantém posições de chefia, vice-diretores e diretores, além de todos os outros funcionários em cargos administrativos, judiciais ou de supervisão. Os documentos serão assinados pela primeira vez após a contratação e depois a cada dois anos.