Papa Francisco defende tolerância religiosa em seus primeiros discursos no Iraque

Depois de ser recebido calorosamente no aeroporto, o líder da Igreja Católica fez pronunciamentos no palácio presidencial e em uma catedral de Bagdá

  • Por Jovem Pan
  • 05/03/2021 16h03
EFE/EPA/ALESSANDRO DI MEOMembros da Igreja Católica do Iraque recebem o papa Francisco na Catedral Sayidat al-Nejat, em Bagdá

Uma recepção calorosa estava à espera do papa Francisco quando ele pousou no Aeroporto Internacional de Bagdá nesta sexta-feira, 5. O líder da Igreja Católica recebeu as boas-vindas do primeiro-ministro do Iraque, Mustafa Abdellatif Mshatat, e do embaixador Rahman Farhan Abdullah Al-Ameri, além de outras autoridades civis e religiosas. Além disso, crianças vestidas com roupas tradicionais cantaram músicas em árabe e entregaram flores amarelas ao Santo Padre, que seguiu então para o palácio presidencial iraquiano. Ali, o papa Francisco se encontrou com o presidente Barham Ahmed Salih Qassim e discursou pela primeira vez no país, fazendo um apelo à paz.

“O Iraque é chamado a mostrar a todos, especialmente no Oriente Médio, que a diversidade deve levar a uma cooperação harmoniosa dentro da sociedade, ao invés de dar origem a conflitos”, afirmou. “Venho como penitente que perdão ao Céu e aos irmãos por tanta destruição e crueldade. Venho como peregrino de paz, em nome de Cristo, Príncipe da Paz (…). Calem-se as armas! Limite-se a sua difusão, aqui e em toda a parte!”, pediu. O pontífice defendeu, ainda, que a religião deve estar a serviço da paz e da fraternidade, sendo que o nome de Deus não pode ser usado para justificar atos de homicídio, de exílio, de terrorismo e de opressão.

Por fim, o pontífice visitou a Catedral Sayidat al-Nejat para um encontro com bispos, padres, seminaristas e catequistas. Ali, ele lembrou dos cristãos iraquianos que perderam as suas vidas por causa da sua fé. “Gostaria de retornar agora aos nossos irmãos e irmãs que morreram no atentado terrorista de há dez anos nesta Catedral e cuja causa de beatificação está em andamento. A sua morte lembra-nos fortemente que o incitamento à guerra, os comportamentos de ódio, a violência e o derramamento de sangue são incompatíveis com os ensinamentos religiosos. E quero recordar todas as vítimas de violências e perseguições, pertencentes a qualquer comunidade religiosa”, disse. Ao final do dia, o papa Francisco se dirigiu à Nunciatura Apostólica de Bagdá, onde dormirá nas próximas três noites.