Pelo menos 40 soldados sírios são mortos após ataque aéreo de Israel

O bombardeio foi motivado pela presença do Hezbollah e da milícia iraniana no território sírio; outros 37 combatentes ficaram feridos

  • Por Jovem Pan
  • 13/01/2021 12h14 - Atualizado em 13/01/2021 12h14
EFE/EPA/YOUSSEF BADAWIAcostumada com a guerra, a capital da Síria, Damasco, segue com o seu cotidiano normal apesar do bombardeio do outro lado do país

Um ataque aéreo executado por Israel na madrugada desta quarta-feira, 13, deixou 40 soldados mortos e outros 37 feridos na província de Deir ez-Zor, no leste da Síria. Segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos, nove das vítimas eram membros do exército sírio e os 31 restantes eram combatentes de nacionalidade estrangeira afiliados a milícias pró-Irã. O bombardeio tinha como alvo os armazéns de armas do exército sírio, do grupo xiita libanês Hezbollah e das forças iranianas, que se estendem pelo deserto de Al Bukamal, na fronteira entre a Síria e o Iraque.

Esse foi o quarto ataque em menos de três semanas e o segundo de 2021. Os bombardeiros anteriores já tinham alcançado o seu objetivo de destruir várias posições militares e armazéns com munição, armamento e maquinaria. O desta quarta-feira, 13, no entanto, foi considerado o mais violento até agora por uma fonte militar que preferiu manter o seu anonimato. Israel considera uma ameaça à sua segurança a presença das milícias do Irã e do grupo extremista do Líbano no território da Síria.

*Com informações da EFE