Polícia da Grécia recupera obra roubada de Picasso quase 10 anos após crime

Pintura, que estava escondida no leito de um rio junto a uma obra do artista Mondrian, foi tirada de uma galeria de artes de Atenas em 2012

  • Por Jovem Pan
  • 29/06/2021 12h10 - Atualizado em 29/06/2021 16h23
EFE/EPA/PANTELIS-SAITASObra estava escondida em leito de rio

A polícia da Grécia recuperou nesta segunda-feira, 28, duas telas famosas roubadas da Galeria Nacional de Atenas em janeiro de 2012. As obras “Cabeça de Mulher”, de Pablo Picasso, e “Molino”, de Piet Mondrian, estavam enroladas em plástico e “semienterradas” no leito de um rio da cidade de Keratea. Um homem de 49 anos foi preso pelo crime. Ele teria deixado as obras escondidas na própria casa por anos esperando o momento certo para vendê-las, mas teria encontrado dificuldades, já que o quadro de Picasso foi um presente dado ao povo da Grécia e tinha uma dedicatória em francês feita à mão pelo próprio artista espanhol antes de morrer. Os quadros foram movidos para a região do rio há pouco tempo e foram encontrados em boas condições.

Em coletiva de imprensa realizada nesta terça-feira, 29, a polícia da Grécia informou que o suspeito confessou o crime e disse que planejou o roubo das obras por meses, analisando todos os dias a movimentação dos guardas e de outros funcionários da galeria. Ele criou um “alarme falso” em outra parte do museu e invadiu o local, levando sete minutos para cortar as telas e levá-las com ele. Além dos dois quadros recuperados na segunda-feira, o homem também roubou um desenho do século 16 criado pelo artista italiano Guglielmo Caccia. A obra, porém, foi danificada no momento do crime e, por causa disso, foi jogada na privada pelo suspeito. A maneira como os investigadores chegaram até o responsável pelo roubo não foi revelada pela polícia e os quadros serão devolvidos para a galeria na qual estavam quando foram roubados. Segundo o governo grego, melhorias na segurança do local foram feitas na última década.