Prefeitura de Nova York obriga 500 funcionários a tirar semana de folga para economizar

Como consequência da crise derivada da pandemia de Covid-19, a cidade deixou de arrecadar US$ 9 bilhões e cortou US$ 7 bilhões do orçamento desde fevereiro, segundo dados oficiais

  • Por Jovem Pan
  • 16/09/2020 17h26 - Atualizado em 16/09/2020 17h27
EFE/EPA/Peter FoleyNova York está em crise por causa da pandemia da Covid-19

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, anunciou nesta quarta-feira, 16, que obrigará quase 500 funcionários, inclusive ele, a tirar uma semana de licença não remunerada para economizar do orçamento dedicado à prefeitura, que neste ano fiscal será 12% menor em comparação com o anterior, encerrado em junho.”É um passo doloroso, mas mostra o quanto estamos comprometidos com um orçamento responsável e com a liderança da cidade nestes tempos difíceis”, argumentou. Bill de Blasio também pediu ao governador do estado, Andrew Cuomo, medidas que concedam a Nova York a autoridade de “obter empréstimos a longo prazo”.

Como consequência da crise derivada da pandemia de Covid-19, a cidade de Nova York deixou de arrecadar US$ 9 bilhões e cortou US$ 7 bilhões do orçamento desde fevereiro, segundo dados oficiais. Os funcionários deverão tirar essa semana entre outubro deste ano e março de 2021, um descanso forçado que, segundo o prefeito, permitirá economizar quase US$ 1 milhão.

No início de agosto, o prefeito anunciou que demitiria 22 mil funcionários devido ao déficit orçamentário da cidade. Depois, suspendeu a medida temporariamente. Na cidade de Nova York, 19.131 pessoas morreram por Covid-19. Para frear a propagação da doença, as autoridades decretaram o fechamento de todos os negócios não essenciais em meados de março. Em junho, a cidade deu início a uma lenta e escalonada reabertura.

*Com informações da Agência EFE