Primeiro-ministro do Iraque escapa ileso após sua residência ser atacada por drones com explosivos

Casa ficou danificada e dois membros da guarda presidencial se feriram; duas das três aeronaves foram abatidas

  • Por Jovem Pan
  • 07/11/2021 17h33
Divulgação / Escritório do primeiro-ministro iraquianoPartes da casa do primeiro-ministro do Iraque ficaram destruídas após tentativa de assassinato com drones

O primeiro-ministro do Iraque, Mustafa Al Kazimi, foi alvo de uma tentativa de assassinato no início da manhã deste domingo, 7, mas escapou ileso após drones com explosivos atacarem sua residência em Bagdá, capital do país. Uma fonte de segurança disse que “dois membros da guarda pessoal presidencial ficaram feridos”, sem especificar a gravidade. A tentativa de assassinato contra o primeiro-ministro iraquiano foi realizada com “três drones, dois dos quais foram abatidos” pela guarda pessoal de Kazimi e o terceiro explodiu contra a residência, causando alguns danos. As aeronaves teriam sido lançadas de uma ponte antes de seguirem para a zona verde da cidade, região fortemente vigiada da cidade que abriga a casa do primeiro-ministro, outros prédios do governo e a embaixada dos Estados Unidos.

“Minha residência tem sido alvo de um assalto covarde. Estou bem, graças a Deus, assim como os que trabalham comigo”, declarou Kazimi em vídeo divulgado nas redes sociais, no qual também pediu “calma e moderação da parte de todos, para o bem do Iraque”. O presidente do Iraque, Barham Salih, afirmou o ato foi uma tentativa de derrubar a ordem constitucional. Os Estados Unidos condenaram a ação como um ‘atentado terrorista’. “Estamos aliviados em saber que o primeiro-ministro saiu ileso. Este aparente ato de terrorismo, que condenamos veementemente, apontou o coração do estado iraquiano”, disse o porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Ned Price, em um comunicado. Nenhum grupo assumiu a autoria do ataque até o momento e as forças de segurança iraquianas dizem que é cedo para culpar alguém. O Iraque ainda vive uma guerra civil na qual o governo enfrenta forças rebeldes ligadas ao Irã, e ambos lutam contra grupos extremistas islâmicos.