Putin lamenta guerra entre Azerbaijão e Armênia: ‘Uma tragédia’

O presidente da Rússia lembrou que “um grande número” de russos mantém relações estreitas de amizade e até familiares com as duas repúblicas

  • Por Jovem Pan
  • 07/10/2020 14h36
EFE/EPA/SERGEI CHIRIKOVPresidente da Rússia, Putin lamentou o conflito entre Azerbaijão e Armênia

Presidente da Rússia, Vladimir Putin lamentou nesta quarta-feira, 7, a guerra entre as forças armadas do Azerbaijão e da Armênia no enclave separatista de Nagorno-Karabakh. Classificando o conflito como “uma tragédia”, o mandatário russo pediu um cessa-fogo imediato. “Isso é uma tragédia. Isso nos afeta muito. Porque Azerbaijão e Armênia, Nagorno-Karabakh, são territórios onde vivem pessoas que não são estranhas para nós. Basta dizer que há cerca de 2 milhões de azerbaijanos vivendo na Rússia e mais de 2 milhões de armênios, segundo nossos cálculos”, disse Putin, em entrevista à emissora de TV “Rossiya 1”.

O presidente da Rússia lembrou que “um grande número” de russos mantém relações estreitas de amizade e até familiares com as duas repúblicas.”Claro que é uma grande tragédia. Pessoas morrem, há grandes perdas dos dois lados. Esperamos que esse conflito termine em um futuro muito próximo. Mas se não for resolvido definitivamente (o conflito), aparentemente isso está longe, de qualquer maneira, pedimos um cessar-fogo. E isso deve ser feito o mais rápido possível”, afirmou.

A Rússia tem bom relacionamento com os dois países e fornece armas a ambos, mas tem uma base militar na Armênia e é aliada de Yerevan na aliança político-militar pós-soviética Organização do Tratado de Segurança Coletiva (OTSC). Desde o reinício do confronto armado em Nagorno-Karabakh, no dia 27 de setembro, Putin conversou várias vezes com o primeiro-ministro armênio, Nikol Pashinyan. No entanto, até ontem, ele não havia falado com o presidente do Azerbaijão, Ilham Aliev. Ele ligou para Putin para parabenizá-lo por seu 68º aniversário, segundo Baku, mas os dois líderes aproveitaram a oportunidade para falar sobre o conflito em Nagorno Karabakh e as relações bilaterais.

Putin lembrou na entrevista que a Armênia é membro do CSTO e que, portanto, a Rússia tem “certas obrigações” com aquele país. “Mas as ações militares, para nosso pesar, continuam até hoje, mas não são realizadas em território armênio”, disse o presidente russo. A Armênia pode recorrer à CSTO apenas se seu território for atacado e como Nagorno-Karabakh é um território não reconhecido, nem mesmo por Yerevan, a Rússia não pode intervir.

*Com informações da Agência EFE