Reino Unido começa a usar vacina de Oxford para imunizar população contra a Covid-19

Além da vacina de Oxford desenvolvida com a AstraZeneca, considerada segura e eficaz, o país também está aplicando o imunizante da Pfizer em parceria com a BioNTech

  • Por Jovem Pan
  • 04/01/2021 10h20 - Atualizado em 04/01/2021 10h36
EFE/EPA/LOUISA GOULIAMAKIReino Unido já autorizou 100 milhões de doses da vacina de Oxford

Um idoso de 82 anos tornou-se, nesta segunda-feira, a primeira pessoa no Reino Unido a ser vacinada com o imunizante contra a Covid-19 desenvolvido pela Universidade de Oxford e pela farmacêutica AstraZeneca, depois que os reguladores o aprovaram em dezembro, segundo o Serviço Nacional de Saúde britânico (NHS, na sigla em inglês). Brian Pinker, que está no grupo de risco por necessitar de diálise, foi vacinado nesta manhã no Hospital da Universidade de Oxford, acrescentou o NHS.

“Estou muito feliz por receber hoje a vacina contra a Covid-19 e muito orgulhoso por ser uma das criadas em Oxford. As enfermeiras, médicos e equipe médica foram fantásticos hoje e estou ansioso para comemorar meu 48º aniversário de casamento com minha esposa Shirley no final do ano”, disse Pinker. Reguladores do Reino Unido aprovaram a vacina do laboratório da AstraZeneca em 30 de dezembro, após analisar todos os dados fornecidos pelos pesquisadores de Oxford. Além da vacina de Oxford, considerada segura e eficaz, o país também está aplicando a vacina da Pfizer/BioNTech. O Reino Unido já autorizou 100 milhões de doses da vacina de Oxford, o que permitirá que 50 milhões de pessoas sejam vacinadas, pois são necessárias duas doses. Neste domingo, o Reino Unido registrou 54.990 novos casos e 454 mortes por Covid-19, de acordo com dados oficiais.

A vacinação da população britânica aumentará nas próximas semanas, num momento em que há um aumento preocupante das infecções, que as autoridades associam a uma nova variante do coronavírus que se espalha mais rapidamente. O ministro da Saúde, Matt Hancock, tuitou hoje que a vacinação com o imunizante da Oxford representa um “passo vital” na luta contra o coronavírus e uma “missão nacional”. A vacina desenvolvida pela AstraZeneca é mais fácil de armazenar, pois pode ser mantida em uma geladeira normal, como a vacina contra a gripe, enquanto a da Pfizer/BioNTech precisa ser armazenada a uma temperatura de 70 graus Celsius negativos.

*Com Agência EFE