Reino Unido prevê queda histórica no PIB; indicador cresceu nos EUA

O país da Rainha Elizabeth II deve ter a maior contração em 300 anos, além de um dos maiores endividamentos já vistos; para governo americano, reabertura do comércio ajudou a melhorar o índice

  • Por Jovem Pan
  • 25/11/2020 18h10 - Atualizado em 25/11/2020 18h12
EFE/EPA/FACUNDO ARRIZABALAGAO Reino Unido registrou número recorde de óbitos por Covid-19, mas vai aliviar lockdown no Natal

Segundo previsões divulgadas nesta quarta-feira, 25, o Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido cairá 11,3% em 2020 devido à crise do coronavírus. Essa seria a maior contração em mais de 300 anos, de acordo com o ministro da Economia, Rishi Sunak. O levantamento estima um crescimento de 5,5% em 2021 e 6,6% em 2022, o que ainda não seria suficiente para o país retornar ao nível pré-pandemia. Além disso, para combater os efeitos da Covid-19, o governo terá contraído uma dívida de 394 bilhões de libras, o equivalente a 19% do PIB, até o final deste ano. Essa é a maior dívida orçamentária na história do Reino Unido com exceção dos períodos de guerra.

No mesmo dia, os Estados Unidos anunciaram que houve um crescimento de 7,4% do PIB no terceiro trimestre, o que representa o primeiro aumento desde o início da pandemia de coronavírus. “O aumento do PIB no terceiro trimestre refletiu esforços contínuos para reabrir empresas e retomar atividades que foram adiadas ou restringidas pela Covid-19”, disse o Departamento de Comércio no relatório. Os gastos dos consumidores, que nos EUA representam dois terços da atividade, dispararam 40,6% entre julho e setembro.

*Com informações da EFE