Rinoceronte-branco mais velho do mundo morre aos 54 anos

Toby teve uma parada cardíaca e já era considerado idoso para a espécie, que costuma viver até 40 anos em cativeiro

  • Por Jovem Pan
  • 12/10/2021 13h54 - Atualizado em 12/10/2021 13h56
Parco Natura Viva/Reprodução'Nonno Toby' morreu aos 54 anos

O rinoceronte-branco mais velho do mundo, conhecido como “Toby”, morreu nesta semana aos 54 anos de idade. A informação foi dada nesta terça-feira, 12, pelo zoológico Parco Natura Viva, na Itália, local no qual ele morava. Considerando a idade média de morte da espécie, que costuma viver até 30 anos na vida selvagem e 40 em cativeiro, é possível considerar o animal um “idoso”. No país europeu, ele era chamado de “Nonno Toby” (vovô Toby). De acordo com o zoo, ele teria caído no chão quando estava sendo levado de volta ao seu abrigo noturno e teve uma parada cardíaca cerca de 30 minutos depois. “Nós sabíamos que isto aconteceria mais cedo ou mais tarde, mas ver os últimos momentos de vida do gigante que compartilhou conosco meio século de história continua sendo profundamente triste”, afirmou o cuidador de Toby, Avesani Zaborra, em pronunciamento publicado no site do zoológico.

A parceira de Tobby, Sugar, morreu em 2012 e agora apenas um animal da espécie continua a morar no zoológico: Benno, de 39 anos. O corpo do animal será embalsamado e ficará exposto no museu de ciências de Trento. De acordo com a porta-voz do Parco Natura Viva, Elisa Livia Pennacchioni, Toby ficará ao lado de Blanco, um leão branco que morreu há cinco anos. Os rinocerontes brancos do sul (espécie de Toby) são considerados em risco de extinção no mundo. A estimativa da ONG WWF é de que 18 mil bichos da espécie ainda existam. Outra subespécie dos animais, os rinocerontes brancos do norte, já é considerada extinta, já que só há registro de duas fêmeas vivas, que permanecem sob vigilância constante de guardas armados no Quênia.