Milhares ficam sem aquecedor nos EUA devido à invasão em serviço de gás

Ataque atribuído a ‘ambientalistas radicais’ foi registrado na cidade de Aspen, no Colorado, onde temperaturas ficaram abaixo dos quatro graus negativos; prefeitura distribuiu aquecedores para moradores

  • Por Jovem Pan
  • 29/12/2020 16h36 - Atualizado em 29/12/2020 17h03
City of Aspen/Instagram/28.12.2020Prefeitura distribuiu aquecedores portáteis

O departamento federal de investigação dos Estados Unidos (FBI) analisa um suposto ataque intencional às linhas de serviço de gás natural da cidade de Aspen, no Colorado, que deixou pelo menos 3,5 mil pessoas sem aquecedores na noite desta segunda-feira, 28. Segundo a polícia da cidade, pelo menos três ações coordenadas de vandalismo foram registradas em áreas de transmissão de gás, atingindo 3,5 mil pessoas. Ao lado dos locais vandalizados, policiais encontraram as palavras “Terra Primeiro” (Earth First, em inglês) cravadas em madeira. Investigadores verificam se há conexão entre a mensagem e o que eles classificam como “grupo ambientalista radical” com o mesmo nome.

Segundo a polícia, o grupo ou indivíduo responsável pela sabotagem nas linhas de gás tinha familiaridade com o sistema e o danificou com intuito de dificultar a reestruturação por parte dos especialistas. Nenhuma câmera de segurança flagrou a ação criminosa, mas pegadas na neve são analisadas pelo FBI. “É quase um ato de terrorismo para mim. Eles estão tentando destruir uma comunidade montanhesa no meio das festas de fim de ano. Essa não é uma falha na linha de gás nacional, é um ato proposital”, afirmou a delegada de polícia local, Patti Clapper, em entrevista ao jornal The Aspen Times. Com o fornecimento de gás ainda não restabelecido na manhã desta terça, a prefeitura da cidade distribuiu pouco mais de seis mil aquecedores portáteis para os moradores da região que foram atingidos pela ação de vandalismo. Apesar das baixíssimas temperaturas, não há registro de mortes por hipotermia na região.