Trem bate em escavadeira no Irã e deixa pelo menos 17 pessoas mortas

Segundo o serviço nacional de regaste, 37 dos 86 feridos foram levados para o hospital, alguns em estado grave; incidente está sendo investigado

  • Por Jovem Pan
  • 08/06/2022 12h47 - Atualizado em 08/06/2022 13h13
Reprodução/Twitter/@malakeyetwiter trem descarrila irã Cinco dos 11 vagões do trem descarrilaram no acidente

Um trem descarrilou e bateu em uma escavadeira no Irã nesta quarta-feira, 8, e deixou ao menos 17 pessoas mortas e dezenas de feridos, segundo o serviço nacional de regaste. “37 dos 86 feridos foram levados para o hospital”, informou o porta-voz, Mojtaba Khaledi, alertando que o número de mortos pode aumentar “porque alguns feridos estão em condição crítica”, acrescentou antes de informar que 24 ambulâncias e três helicópteros foram enviados ao local. O acidente aconteceu em uma área desértica próxima de Tabas, a 900 km ao sudoeste de Teerã, na linha que percorre o trajeto entre as cidades de Mashhad e Yazd.

Imagens divulgadas pela agência estatal Isna mostram um vagão tombado na ferrovia e outros quatro arrastados pelo acidente. O comandante das operações de resgate, Mehdi Valipur, confirmou que cinco dos 11 vagões do trem descarrilaram no acidente. O vice-presidente da empresa estatal de ferrovias, Mir Hasan Musavi, informou que o trem transportava 348 passageiros, e o acidente aconteceu por volta das 5h30 (22h00 de Brasília, terça-feira).

acidente de trem no Irã

Acidente de trem aconteceu em uma área desértica próxima de Tabas, a 900 km ao sudoeste de Teerã │AFPTV / IRIBNEWS / AFP

O episódio acontece duas semanas depois do desabamento de um edifício em construção na região sudoeste do Irã, uma tragédia que deixou 43 mortos. O presidente Ebrahim Raisi expressou condolências às famílias das vítimas e ordenou uma investigação rápida das causas do acidente, anunciou seu gabinete. O procurador de Tabas visitou o local do acidente e anunciou a abertura de uma investigação. No Twitter, o ministro de Rodovias e Desenvolvimento Urbano, Rostam Ghasemi, pediu desculpas aos iranianos e afirmou que sua pasta é responsável pelo incidente.