Trump afirma que tropas devem deixar o Afeganistão ainda este ano

Em seu perfil oficial no Twitter, o presidente dos Estados Unidos declarou que os soldados norte-americanos que servem no país devem estar em casa ‘até o Natal’

  • Por Bárbara Ligero
  • 08/10/2020 12h29
REUTERS/Tom BrennerTropas norte-americanas no Afeganistão durante visita surpresa do presidente Donald Trump em novembro de 2019

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou em seu perfil oficial no Twitter que as tropas norte-americanas devem deixar o Afeganistão definitivamente ainda este ano. “Devemos ter o pequeno número restante dos nossos corajosos homens e mulheres servindo no Afeganistão em casa até o Natal”, escreveu o republicano. Da forma como foi redigida, a mensagem não deixa claro se a declaração se trata de um desejo pessoal ou uma afirmação que de fato se concretizará, tampouco como aconteceria essa retirada.

No entanto, é importante considerar que a declaração acontece um mês antes das eleições nos Estados Unidos. Candidato a reeleição, Trump está atrás de seu concorrente Joe Biden nas pesquisas eleitorais e havia prometido encerrar a guerra no Afeganistão, assim como outras “guerras sem fim”, durante o seu mandato. Segundo o jornal norte-americano The New York Times, os Estados Unidos já gastaram dois trilhões de dólares com o conflito, que tirou a vida de mais de 3.500 americanos e dezenas de milhares de afegãos.

Um acordo, assinado entre os Estados Unidos e os talibãs em 29 de fevereiro de 2020, também indica que a declaração de Trump pode ser uma previsão verdadeira. Durante o encontro histórico, que ocorreu na capital do Catar, o governo norte-americano prometeu que retiraria todas as suas tropas do território afegão até meados de 2021. A contrapartida é que o grupo islâmico não estabeleça um regime extremista no país, compartilhando o poder com o governo afegão. As negociações de paz entre os talibãs e as autoridades locais ainda estão em andamento.

Se tudo correr conforme planejado, esse seria o fim da guerra mais longa em que os Estados Unidos já estiveram envolvidos: o conflito no Afeganistão começou após os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001. Os ataques fatídicos foram planejados por líderes da Al Qaeda sob a proteção do Talibã, que governou o Afeganistão sob severas leis islâmicas. No ápice da guerra, 100 mil tropas americanas ocuparam o país, segundo a agência de notícias The Associated Press. Atualmente, menos de nove mil soldados permanecem no local.