Trump diz que não criará um novo partido para concorrer à presidência dos EUA em 2024

O bilionário demonstrou que continua tendo influência sobre o Partido Republicano ao participar do maior de conservadores do país; discurso também foi marcado por críticas ao governo Biden

  • Por Jovem Pan
  • 01/03/2021 11h13 - Atualizado em 01/03/2021 11h15
EFE/EPA/CRISTOBAL HERRERA-ULASHKEVICHBilionário fez questão de citar nominalmente os membros do Partido Republicano que votaram contra ele no processo de impeachment

Em seu primeiro discurso desde a posse de Joe Biden, Donald Trump afirmou que não tem a intenção de criar um novo partido político para concorrer à presidência dos Estados Unidos em 2024 porque isso dividiria os votos republicanos. “Não seria brilhante? Vamos começar um novo partido para que possamos dividir nosso voto e nunca ganhar”, ironizou. A revelação foi feita neste domingo, 28, durante o fechamento da Conferência de Ação Política Conservadora na Flórida, o maior encontro de ativistas e políticos conservadores do país. A participação do ex-presidente na reunião sugere que ele ainda possui forte influência no Partido Republicano, apesar de ter perdido as eleições, se envolvido nos eventos que levaram à invasão ao Capitólio e sofrido um segundo processo de impeachment. Na semana passada, uma pesquisa eleitoral feita pela Universidade de Suffolk em parceria com o jornal norte-americano USA Today indicou que 46% dos apoiadores do bilionário votariam nele caso ele criasse o seu próprio partido. “Estou diante de vocês hoje para declarar que a incrível jornada que começamos juntos há quatro anos está longe de terminar. Estamos reunidos esta tarde para falar sobre o futuro – o futuro do nosso movimento, o futuro do nosso partido e o futuro do nosso amado país. Temos o Partido Republicano. Ele vai se unir e ser mais forte do que nunca”, disse.

A fala de Donald Trump também foi marcada por novas acusações de fraude eleitoral a favor do Partido Democrata no ano passado. “Eles perderam a Casa Branca em novembro. E quem sabe, quem sabe, posso decidir derrotá-los pela terceira vez”, disse em meio à aplausos da plateia. Trump também violou a etiqueta habitual entre ex-presidentes de não criticar os seus sucessores e falou mal da nova administração de Joe Biden, principalmente no que diz respeito à flexibilização das políticas migratórias. “Todos nós sabíamos que o governo Biden seria ruim, mas nenhum de nós sequer imaginou o quão ruim eles seriam e quão longe iriam”, afirmou. “Biden teve o primeiro mês mais desastroso de um presidente na  história moderna”, acrescentou. Ao falar das eleições legislativas de 2022, o ex-presidente tirou um momento, ainda, para citar os nomes de todos os deputados e senadores do Partido Republicano que votaram contra ele durante o processo de impeachment.