Trump gasta US$ 3 milhões pela recontagem de votos em Wisconsin

As cédulas dos condados de Milwaukee e Dane, onde a campanha republicana aponta irregularidades, serão recontadas até o dia 1 de dezembro

  • Por Jovem Pan
  • 18/11/2020 16h45 - Atualizado em 18/11/2020 17h44
EFEA ação em Wisconsin é um dos processos que o presidente Donald Trump tem aberto sob acusação de fraude eleitoral

De acordo com um comunicado divulgado nesta quarta-feira, 18, a campanha de reeleição do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, desembolsou os três milhões de dólares exigidos para que haja uma recontagem dos votos em dois condados de Wisconsin, estado onde a mídia norte-americana projetou a vitória do democrata Joe Biden com cerca de 20 mil cédulas de diferença. O texto afirma que os condados apontados foram Milwaukee, com uma grande população de afro-americanos, e Dane, onde fica a Universidade de Wisconsin. Para os republicanos, essas duas localidades apresentaram “as piores irregularidades”. A recontagem pode começar essa semana e deve terminar até o dia 1 de dezembro.

Uma das acusações levantadas pela campanha republicana é que algumas cédulas de Milwaukee e Dane chegaram aos locais de apuração com informações faltando e que os funcionários da Justiça Eleitoral as preencheram. Desde 2016, esse tipo de intervenção está prevista pelas leis de 11 estado caso as autoridades responsáveis tenham dados confiáveis para fazê-lo. Os advogados de Donald Trump também afirmam que alguns eleitores enviaram votos por correio sem apresentar documentos com fotos. Há uma lei, no entanto, que isenta as pessoas com limitações por causa de idade, condição física ou deficiência a terem que fazer isso.

*Com informações de agências internacionais