Uber investirá 800 milhões de dólares para eliminar emissões de gases poluentes

O objetivo é que, em 2040, os carros que utilizam a plataforma não emitam poluentes em 10 mil cidades do mundo e em 100% das viagens

  • Por Jovem Pan
  • 08/09/2020 16h52 - Atualizado em 08/09/2020 16h54
ReproduçãoUber está investindo para reduzir a emissão de gases poluentes

O Uber se comprometeu a investir 800 milhões de dólares em ajudas a centenas de motoristas nos Estados Unidos, Canadá e Europa para complementar os custos da troca de veículo, de modo a se tornar uma plataforma de “zero emissão” de gases poluentes até 2040. O objetivo é que, em 2040, os carros que utilizam a plataforma não emitam poluentes em 10 mil cidades do mundo e em 100% das viagens, segundo anunciou a empresa nesta terça-feira, 8. Vários acordos foram feitos para alcançar a meta, um deles com Renault e Nissan, com os quais o Uber assinou uma declaração de intenções, o que permitirá eletrificar a frota na Europa, segundo a empresa.

Renault e Nissan anunciaram que desejam colaborar com a plataforma e oferecer uma oferta acessível de veículos 100% elétricos aos condutores que utilizam o Uber nos mercados europeus, em particular no Reino Unido, França, Holanda e Portugal. As empresas recordaram que a parceria segue um projeto piloto “bem-sucedido” entre as duas partes no Reino Unido. O Uber anunciou também que nos próximos cinco anos espera que 50% dos quilômetros percorridos por veículos integrados à plataforma em sete capitais europeias não emitam poluentes. As cidades são Amesterdã, Berlim, Bruxelas, Lisboa, Londres, Madri e Paris. A plataforma assegurou que também continuará a expansão da iniciativa Uber Green na Europa, com a qual os utilizadores podem solicitar um veículo de baixas emissões em troca de uma pequena sobretaxa. Este serviço está atualmente disponível em 37 cidades e espera-se que seja expandido a 60 cidades até o final de 2021.

Isto significa que os utilizadores poderão escolher um veículo de emissão zero em cidades que representam 80% da atividade do Uber até o final de 2021. Anabel Diaz, diretora-geral regional do Uber para Europa, Oriente Médio e África, destacou o papel da plataforma no combate à mudança climática e no fomento de uma recuperação econômica mais sustentável. William Todts, diretor executivo da Federação Europeia para os Transportes e Meio Ambiente, pediu que “todas as grandes cidades da Europa introduzam zonas de emissão zero, novas pistas e pistas exclusivas para bicicletas”.

Além disso, o Uber anunciou que assinou um acordo com a operadora de carregadores de veículos elétricos Power Dot, que dará acesso “exclusivo” a quatro centros de carregamento para condutores na área metropolitana de Paris e em Portugal, inclusive com um desconto de 20%. No Reino Unido, Uber e BP também assinaram um acordo para fornecer aos motoristas novos centros de carregamento exclusivos em Londres.

*Com informações da Agência EFE