Variante Ômicron é altamente transmissível e requer medidas urgentes, alerta G-7

Ministros da saúde do grupo de nações ricas fizeram reunião de emergência nesta segunda

  • Por Jovem Pan
  • 29/11/2021 19h04 - Atualizado em 29/11/2021 21h19
EFE/EPA/ATEF SAFADITodos os continentes do mundo já registraram variante ômicron da Covid-19

O grupo dos sete países mais ricos do mundo, o G7, alertou nesta segunda, 29, que a variante Ômicron do coronavírus é altamente transmissível e requer ação urgente, após reunião emergencial dos ministros da saúde dos países, convocada pelo Reino Unido. “Os ministros elogiaram o trabalho exemplar da África do Sul em detectar a variante e alertar os outros”, acrescentaram em comunicado conjunto, enquanto lamentaram as restrições de viagem impostas àquela nação. No documento, os sete países também reconhecem a importância estratégica de garantir o acesso às vacinas, “preparar” os países para receber os imunizantes, fornecer “assistência operacional, cumprir nossos compromissos de doação, abordar a desinformação sobre vacinas e apoiar a pesquisa e o desenvolvimento”, além de se comprometerem a trabalhar em parceria com a OMS e de marcar uma nova reunião para dezembro. A variante Ômicron foi detectada na África do Sul e contém 50 mutações em relação ao vírus original. Até o momento, tudo indica que ela seria mais transmissível que todas as outras variantes já detectadas, por isso a preocupação cresceu. Como a Ômicron surgiu no continente africano, onde apenas 6% da população foi totalmente vacinada, a questão da distribuição da vacina entre países pobres e países ricos foi levantada pela OMS e por cientistas.