Venezuelanos roubam petróleo para produzir a própria gasolina

À medida que a produção de petróleo da Venezuela está caindo, postos de combustível estão com filas quilométricas e pessoas começaram a comercializar gasolina ‘artesanal’

  • Por Bárbara Ligero
  • 20/11/2020 12h12
EFE/Miguel Gutiérrez/ArchivoAlém da pandemia de coronavírus, a Venezuela enfrenta uma crise econômica com produção de petróleo no menor nível desde 1930

Os venezuelanos começaram a roubar petróleo da empresa PDVSA com o objetivo de refiná-lo e transformá-lo em gasolina de forma caseira. Os roubos estão acontecendo em campos hibernados da companhia e não representam uma quantidade significativa, mas sinalizam a crise pela qual a estatal está passando. A população local não está tendo a sua demanda por combustível atendida porque as sanções impostas pelos Estados Unidos fizeram com que a produção de petróleo da Venezuela caísse para 397 mil barris por dia, o menor nível desde a década de 1930. Antes do governo de Donald Trump começar a utilizar o recurso econômico para pressionar a saída do presidente venezuelano Nicolás Maduro, o país gerava 1,2 milhão de barris a cada 24 horas. Agora, os venezuelanos fazem filas quilométricas nos postos de combustíveis, sendo que o país possui uma das maiores reservas de petróleo do mundo.

Segundo uma reportagem da agência de notícias Reuters, funcionários da PDVSA, que recebem apenas alguns dólares de salário por mês, estão aceitando subornos para fechar os olhos para os furtos de petróleo. A baixa remuneração também tem feito com que os seguranças não se preocupem em proteger as instalações da companhia, onde os ladrões perfuram os dutos e aquecem o petróleo com um maçarico para que ele flua para tubos menores. Segundo uma das fontes da Reuters, a gasolina artesanal não tem demonstrado ser de boa qualidade: “O caminhão rodou bem por alguns dias, mas três dias depois o motor começou a engasgar”. Ainda assim, os roubos já representam 1% da produção total da estatal, aproximadamente mil barris.