‘A gente vai prender Jair Bolsonaro’, diz Randolfe ao ser abordado por apoiador do presidente

Na fila da vacina, bolsonarista questionou o senador sobre a CPI da Covid-19 e disse que parlamentares deveriam estar ‘cuidando do país’

  • Por Jovem Pan
  • 21/06/2021 16h11 - Atualizado em 21/06/2021 17h21
Reprodução/TwitterRandolfe Rodrigues e apoiador do presidente Bolsonaro discutiram em UBS

Vice-presidente da CPI da Covid, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) foi abordado por um apoiador do presidente Jair Bolsonaro em uma Unidade Básica de Saúde nesta segunda-feira, 21, após tomar a primeira dose da vacina contra a Covid-19, no Amapá. Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o momento em que um homem, que usava uma máscara com o desenho do rosto de Bolsonaro e a bandeira do Brasil, aborda Randolfe e o questiona sobre o porquê da “CPI da palhaçada em Brasília”. “A gente vai prender Jair Bolsonaro”, responde o senador. O parlamentar também chama o presidente de “assassino” e “genocida” e o responsabiliza pelas mais de 500 mil mortes por Covid-19 no país. “Não vai prender nunca. Sabe por quê? Deus está com ele. Em vez de vocês estarem perseguindo Bolsonaro, vocês deveriam estar cuidando do país, que está doente”, rebate o apoiador do presidente. Randolfe, por sua vez, responde novamente: “Graças a Bolsonaro”. O homem, no entanto, afirma que a culpa também é do vice-presidente da CPI.  

Em outro vídeo, o senador se manifestou sobre o ocorrido. “Tive a alegria de entrar na fila de vacinação e, finalmente, aos meus 47 anos, chegar a vez de me vacinar. O momento seria todo cheio de alegria se não fosse a agressão desmedida por um militante das milícias que, lamentavelmente, andam por todo o canto do país”, afirmou Randolfe. “Não adianta tentativa de intimidação. Não terão êxito”, completou.  O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos), filho do presidente, reagiu ao vídeo no Twitter.O senador DPVAT (ex-PT e PSOL e atual REDE), sugere condecoração para médicos que usaram o tratamento precoce, tem amnésia seletiva, e se ‘esquece’ das mais de 123 milhões de doses e dos bilhões de reais enviados pelo governo a estados e a municípios no combate ao covid”, escreveu. “É pela saúde sim! Pode confiar”, ironizou.