Após falar que vermífugo era eficaz contra Covid-19, Pontes diz que gráfico era ‘meramente ilustrativo’

Sem mostrar dados, ministro afirmou que nitazoxanida, remédio popularmente conhecido como ‘Annita’, afirmou que redução de carga viral era ‘comprovada cientificamente’

  • Por Jovem Pan
  • 20/10/2020 13h42
TV Brasil / Reprodução Ministro afirmou que gráfico era "meramente ilustrativo"

O ministro da da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcos Pontes, usou as redes sociais na madrugada desta terça-feira, 20, para explicar uma polêmica envolvendo uma apresentação realizada na segunda, na qual ele afirmou, sem dados concretos, que o remédio nitazoxanida, popularmente conhecido como “Annita”, reduzia a carga viral no tratamento precoce do novo coronavírus. Na ocasião, Pontes chegou a mostrar um gráfico sem números que ilustrava uma queda vertiginosa em barras abaixo de um texto: “Comprovado cientificamente, reduz carga viral, fase precoce”.

“Obviamente, como facilmente deduzido pelos eixos e pela fala da pesquisadora responsável, o gráfico da apresentação de hoje era meramente ilustrativo”, afirmou o ministro. Ele disse, ainda, que os dados são parte de uma pesquisa internacional que precisa ser apresentada de forma inédita, e por isso ainda não foi divulgada, mas que os pesquisadores estão em posse dos números que o fizeram dar a informação ao público. “Para os que hoje sentiram falta dos números e que gostam de matemática como eu, aguardem a publicação dos dados e cálculos que basearam a conclusão apresentada hoje”, afirmou Pontes.

O ministro de Jair Bolsonaro foi contaminado pelo novo coronavírus no dia 30 de julho e foi voluntário de um estudo clínico com o nitazoxanida enquanto esteve doente. Ele confirmou a cura da doença no dia 8 de agosto. Até o momento, não há estudos científicos que comprovem a eficácia do remédio contra a doença. No Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde, 5,25 milhões de pessoas foram contaminadas pelo novo coronavírus.