Bolsonaro critica ‘três otários’ da CPI: ‘Não encontram um só indício de corrupção em meu governo’

Nas redes sociais, presidente ofendeu o chamado ‘G7’, grupo majoritário que comanda a CPI da Covid-19, e tem a presença de Randolfe Rodrigues, Omar Aziz e Renan Calheiros

  • Por Jovem Pan
  • 15/07/2021 19h16 - Atualizado em 15/07/2021 21h02
MATEUS BONOMI/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO -22/03/2021Presidente criticou membros do grupo majoritário da comissão

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) criticou o trabalho do chamado ‘G7’ na CPI da Covid-19. Em publicação feita em seu Twitter, o mandatário afirmou que os senadores não encontraram “um só indício de corrupção” durante a sua gestão e disse que o trio formado por Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), presidente da Comissão, e Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente, estariam agindo como “três otários”. “No circo da CPI Renan, Omar e Saltitante estão mais para três otários que três patetas”, escreveu Bolsonaro, sem citar nominalmente Randolfe Rodrigues. Entretanto, o senador respondeu ao presidente, dizendo não se importar com os termos utilizados por ele. “Não me incomodo com os termos que você utiliza para se referir a mim “saltitante, fala fina”… O Sr. só não pode me chamar de corrupto, miliciano, superfaturador de vacina e líder de internacional da fraude, né?”, afirmou Randolfe.

Além disso, Bolsonaro também afirmou que a ausência de indícios de corrupção frustra a CPI, que, no momento, estaria tentando acusar o governo de roubo mesmo sem ter gasto nenhum real no caso Covaxin. “O que frustra o G-7 é não encontrar um só indício de corrupção em meu Governo. No caso atual querem nos acusar de corrupção onde nada foi comprado, ou um só real foi pago”, escreveu. No momento, o presidente está internado no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, com o diagnóstico de suboclusão intestinal. Segundo boletim médico, ele tem apresentado melhora, mas segue sem se alimentar e sendo hidratado via soro e alimentação parenteral. Além disso, não foi divulgada uma data de previsão da alta hospitalar.