Bolsonaro: ‘Deus foi tão abençoado que nos deu até a hidroxicloroquina’

Em visita ao sertão nordestino, ele ainda disse que não é médico – mas é “ousado como a Cabra da Peste”

  • Por Jovem Pan
  • 01/10/2020 12h06 - Atualizado em 01/10/2020 12h33
Marcos Corrêa/PREle ainda completou dizendo que nunca vai abrir mão de que o povo tenha liberdade e democracia

O presidente da República, Jair Bolsonaro, voltou a defender, na manhã desta quinta-feira (1º), o uso da cloroquina como tratamento para a Covid-19 e o não cumprimento das regras de distanciamento social. “O nosso governo tudo fará para todos no Brasil, não esqueceremos os mais humildes. Alguns políticos fecharam tudo durante a pandemia, sempre falei: Não tem que fechar nada! Não tem que prender ninguém dentro de casa. Temos que zelar os mais idosos, mais passiveis de adquirir o vírus e ter problema mais graves. Fora isso, tínhamos que trabalhar. E mais ainda: Deus ainda foi tão abençoado que nos deu até a hidroxicloroquina. E quem não acreditou, engula agora!”

Em visita a São José do Egito, no sertão nordestino, para inauguração da segunda etapa do Sistema Adutor do Pajeú, ele ainda disse que não é médico — mas é “ousado como a Cabra da Peste” e lembrou que “quase amarrou o bode no sertão” ao namorar uma menina da cidade de Machados nos anos de 1970. “Temos que procurar solução para os nossos problemas”, disse. Ele ainda completou dizendo que nunca vai abrir mão de que o povo tenha liberdade e democracia e comparou as obras do sistema adutor com a loteria. “O semblante do nordestino quando chega água, parece que ganhou na Mega Sena. E ganhou sim!” No evento, Bolsonaro foi ovacionado aos grito de “Mito! Mito! Mito”.