Bolsonaro nega possibilidade de recriação de ministérios

Nesta sexta-feira, no entanto, o presidente condicionou a recriação de três pastas a votos em candidatos apoiados pelo governo para as eleições do Congresso

  • Por Jovem Pan
  • 30/01/2021 14h04 - Atualizado em 30/01/2021 14h09
GABRIELA BILó/ESTADÃO CONTEÚDO 27/01/2021Presidente voltou a falar mal da Petrobras durante conversa com apoiadores

O presidente Jair Bolsonaro negou a possibilidade da recriação de ministérios e afirmou que ao comentar sobre as secretarias fez um elogio à competência dos secretários da Pesca, do Esporte e da Cultura. “Não tem recriação do ministério. Eu escolhi os três secretários, que fazem um brilhante trabalho. O elogio que dei pra eles no trabalho que eles fazem eles mereciam ser ministros. Não é criar ministérios como deram a entender para negociar com quer que seja. Não é fácil criar ministério. É burocracia, um pouco mais de despesa. Não está previsto”, disse.

Bolsonaro comentou também as eleições na Câmara e no Senado e disse acreditar na vitória de Arthur Lira (PP-AL) na presidência da Câmara. “Mas quem vai decidir é o parlamento. Respeitamos o parlamento. Sou simpático ao Arthur Lira e sou simpático também ao outro candidato ao senado, o Rodrigo Pacheco (DEM)”, disse. Em cerimônia no Palácio do Planalto nesta sexta-feira, Bolsonaro condicionou a recriação de ministérios a votos em candidatos apoiados pelo governo para as eleições do Congresso, que acontecem nesta segunda. No Senado, o governo apoia Rodrigo Pachedo (DEM) e, na Câmara dos Deputados, o candidato Arthur Lira (PP).

Na cerimônia desta sexta, o presidente falou em “ressurgir ministérios” caso os candidatos apoiados pelo governo nas eleições à presidência da Câmara e do Senado fossem eleitos. “Se tiver um clima no Parlamento, pelo o que tudo indica as duas pessoas que nós temos simpatia devem se eleger, não vamos ter mais uma pauta travada, a gente pode levar muita coisa avante. Quem sabe, até, ressurgir os ministérios, esses ministérios”. Bolsonaro também elogia os secretários Mário Frias (Cultura), Jorge Seif (Pesca) e Marcelo Magalhães (Esporte), que estavam presentes no evento. “Eu queria que hoje eu tivesse sido eleito presidente porque algumas coisas a mais eu faria, outras eu não faria. Por exemplo, eu tenho três secretários que, se eu soubesse do potencial de vocês, se eu tivesse mais conhecimento, com profundidade, da importância, seriam um ministério”, afirmou.

*Com informações do Estadão Conteúdo