Boulos é chamado para depor à Polícia Federal por supostas ameaças a Bolsonaro

Ex-candidato à prefeitura de São Paulo foi convocado por causa de uma mensagem escrita nas redes sociais

  • Por Jovem Pan
  • 21/04/2021 14h49 - Atualizado em 21/04/2021 15h19
29/11/2020 - FELIPE RAU/ESTADÃO CONTEÚDOGuilherme Boulos deve prestar depoimento na próxima quinta-feira, 29

Com base na Lei de Segurança Nacional, o ex-presidenciável e ex-candidato à prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos (PSOL), foi intimado nesta quarta-feira, 21, a depor à Polícia Federal por supostas ameaças ao presidente Jair Bolsonaro nas redes sociais. O coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) é investigado desde o fim de setembro após um pedido do deputado federal José Medeiros (Podemos-MT). Ele teria respondido a uma fala de Bolsonaro na qual o presidente se intitulava como “a Constituição” para falar: “Um lembrete para Bolsonaro: a dinastia de Luís XIV terminou na Guilhotina”. “Fui intimado pela PF na Lei de Segurança Nacional por um tuíte sobre Bolsonaro. A perseguição deste governo não tem limites. Não vão nos intimidar!”, disse.

Em nota à imprensa, o político se disse “surpreendido” com a intimação e classificou a LSN como um “resquício da ditadura que vem servindo ao governo para perseguir e tentar calar aqueles que denunciam suas ações imorais e ilegais”. Boulos também afirmou que Bolsonaro era uma “ameaça às instituições e à ordem constitucional” com a fala que deu sobre “ser a Constituição”. O depoimento do Psolista será feito na próxima quinta-feira, 29, na sede da PF em São Paulo. Até o momento, a Polícia Federal não se posicionou sobre o assunto.