CPI da Covid-19 aprova convocação de representantes do Facebook, Google e Twitter

Requerimentos foram apresentados pelo senador Randolfe Rodrigues após o presidente Jair Bolsonaro afirmar, em live, que ‘todos que contraíram o vírus estão vacinados’

  • Por Jovem Pan
  • 23/06/2021 10h59 - Atualizado em 23/06/2021 16h21
PixabayOitivas servirão para que as empresas expliquem as sanções impostas às publicações com informações falsas e sem comprovação científica

Na sessão deliberativa desta quarta-feira, 23, a CPI da Covid-19 aprovou a convocação de representantes do Facebook, do Google e do Twitter. De acordo com os requerimentos apresentados pelo vice-presidente da comissão, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), as oitivas servirão para que as empresas expliquem as sanções impostas às publicações com informações falsas e sem comprovação científica feitas por parlamentares e autoridades públicas, entre elas o presidente Jair Bolsonaro, nas redes sociais.

Os requerimentos foram apresentados depois de Bolsonaro afirmar, em sua live da quinta-feira, 17, que pessoas infectadas com a Covid-19 estão mais imunizadas do que aquelas que foram vacinadas. “Todos que contraíram o vírus estão vacinados. Até de forma mais eficaz que a própria vacina. Porque você pegou o vírus para valer. Quem pegou o vírus, não se discute, está imunizado”, disse o chefe do Executivo federal. Na sessão da sexta-feira, 18, Randolfe Rodrigues disse que Bolsonaro “tem o direito de falar a besteira que quiser, só não tem o direito de produzir o aumento desses números [de mortes]” no Brasil. “Por muito menos, o Twitter e o Facebook baniram o senhor Donald Trump. Não se trata de censura, só não pode comprometer a vida dos brasileiros”, acrescentou o vice-presidente da comissão.