CPI da Covid-19 aprova convocação de Ricardo Barros e de diretor citado em denúncia de propina

Líder do governo na Câmara será ouvido no próximo dia 8, após ter sido citado como envolvido em supostas irregularidades na compra da Covaxin

  • Por Jovem Pan
  • 30/06/2021 13h42
Líder do governo na Câmara, Ricardo Barros

A CPI da Covid-19 aprovou nesta quarta-feira, 30, a convocação do deputado federal Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo na Câmara, e do ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Ferreira Dias. Outros servidores da pasta e empresários ligados à indústria farmacêutica também serão convocados. Barros se tornou alvo da CPI após ter sido mencionado no depoimento do deputado Luis Miranda (DEM-SP), que afirmou que o líder do governo na Câmara teria sido citado por Bolsonaro como um dos envolvidos em supostas irregularidades no contrato da Covaxin. Ele nega as acusações. O parlamentar será ouvido pelos senadores na quinta-feira, 8. Já Roberto Ferreira Dias é apontado como autor de suposta cobrança de propina em uma negociação para compra de vacinas contra a Covid-19, segundo reportagem do jornal Folha de S.Paulo. Ele foi exonerado do Ministério da Saúde nesta quinta e o depoimento está marcado para a próxima quarta-feira, 7.  O representante da empresa Davati Medical Supply, Luiz Paulo Dominguetti Pereira, também foi convocado e deve ir à CPI nesta sexta-feira, 2. Ele afirma que o diretor de Logística da Saúde teria pedido US$ 1 dólar por dose do imunizante.