CPI da Covid-19 desiste de votar quebra de sigilo da Jovem Pan

Autor do requerimento e relator da comissão, Renan Calheiros disse que pedido foi um ‘equívoco’: ‘Nada que possa respingar na liberdade de expressão vai ter a minha aceitação’

  • Por Jovem Pan
  • 03/08/2021 09h48 - Atualizado em 03/08/2021 13h30
Jefferson Rudy/Agência SenadoAntes da sessão, Omar Aziz afirmou que o requerimento sobre a Jovem Pan 'não tem nada a ver' com as investigações do colegiado

A CPI da Covid-19 desistiu de votar o requerimento de quebra de sigilo bancário da rádio Jovem Pan – o pedido foi retirado de pauta depois da repercussão negativa. Antes do início da sessão, o presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM), afirmou que o pedido, de autoria dos senadores Humberto Costa (PT-PE) e Renan Calheiros (MDB-AL), “não tem nada a ver” com as investigações do colegiado. O parlamentar do PSD acrescentou, ainda, que “indiferente de posicionamento editorial, temos que dar liberdade à imprensa para se posicionar”. “O próprio senador Renan ficou muito chateado porque não tinha conhecimento, pediu para retirar e vai falar sobre isso hoje. Não cabe a nós quebrar sigilo de emissora de rádio e televisão ou coisa parecida. Não tem nada a ver com a CPI. Nosso comportamento, indiferente de posicionamento editorial, tem que dar liberdade à imprensa para se posicionar”, disse em conversa com jornalistas.

Também em coletiva, o relator, Renan Calheiros, admitiu que o pedido foi “um equívoco que aconteceu na nossa ausência em Brasília, durante o recesso compulsório”. “Não sei de quem é a culpa, mas, de minha parte, nada que possa respingar na liberdade de expressão vai ter a minha aceitação. Esse foi um posicionamento histórico que sempre tive e essa é uma oportunidade para reafirmá-lo. Queria, sem saber de quem é a culpa, pedir desculpas pelo que aconteceu. Não vamos concordar com esse tipo de coisa”, acrescentou o emedebista.