Cúpula do Congresso discute criação de ‘gabinete de crise’ contra Covid-19 

Presidentes do Senado e da Câmara vão se reunir nesta segunda-feira para tratar de medidas que possam acelerar a vacinação no país e garantir a proteção da população

  • Por André Siqueira
  • 08/03/2021 12h01
Luis Macedo/Câmara dos Deputados - 03/02/2021Articulação ocorre no momento em que governadores falam em 'pacto nacional' contra o coronavírus

Os presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), vão se reunir, na tarde desta segunda-feira, 8, para debater a execução de medidas em conjunto com os governadores e com o Ministério da Saúde contra o avanço da pandemia do novo coronavírus no Brasil. Com o colapso das redes hospitalares em diversas regiões, o país vive o pior momento da crise sanitária em um ano – entre o sábado, 27, e o sábado, 6, foram registradas mais de 10 mil mortes causadas pela doença.

Segundo apurou a Jovem Pan, Pacheco e Lira discutem a criação de um “gabinete de crise”, formado pelos governadores e por integrantes do governo federal, para que sejam definidas medidas que acelerem a vacinação no país e garantam a proteção dos brasileiros – de acordo com dados das secretarias de Saúde dos 26 Estados e do Distrito Federal, apenas 1,28% da população recebeu a segunda dose de imunizantes contra a Covid-19. Na última semana, o Brasil bateu recorde de óbitos causados pela doença em dois dias consecutivos. Na terça-feira, 2, foram registradas 1.726 mortes em 24h; na quarta-feira, 3, este número subiu para 1.840.

A reunião de Pacheco e Lira ocorre no mesmo momento em que os governadores discutem a criação de um “pacto nacional” para frear o avanço da Covid-19 no país. Como a Jovem Pan mostrou, os gestores estaduais estudam adotar medidas restritivas em conjunto, que devem vigorar, pelo menos, até o domingo, 14. A ideia foi proposta neste domingo, 7, pelo governador do Piauí, Wellington Dias (PT), e aceita pela maioria dos governadores. Até o momento, 21 Estados e o Distrito Federal concordaram com a iniciativa.

Concordaram com a proposta os Estados do Piauí, Paraíba, Bahia, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Mato Grosso, São Paulo, Pará, Distrito Federal, Alagoas, Minas Gerais, Ceará, Sergipe, Goiás, Maranhão, Amazonas, Paraná, Espírito Santo, Rio de Janeiro e Amapá.