Governadores planejam anúncio de medidas restritivas em conjunto contra a Covid-19

‘Pacto nacional’ foi proposto por Wellington Dias (PI) e já tem o apoio de 22 Estados; ações devem vigorar até 14 de março, pelo menos

  • Por André Siqueira
  • 07/03/2021 19h53 - Atualizado em 07/03/2021 20h10
Reprodução/Agência SenadoWellington Dias é governador do Piauí

No pior momento da pandemia, governadores planejam anunciar conjuntamente medidas restritivas para reduzir o avanço da Covid-19 no país. As ações devem vigorar, pelo menos, até o dia 14 de março. A sugestão foi feita pelo governador do Piauí, Wellington Dias (PT), neste domingo, 7, e ainda está em discussão. Até o momento, 22 Estados concordaram em apoiar o que chamam de pacto nacional.

Segundo apurou a Jovem Pan, a ideia é que os gestores locais anunciem medidas básicas, comum a todos, e que demais iniciativas sejam adotadas conforme a necessidade dos Estados. A articulação ocorre no momento em que os governadores enfrentam o colapso da rede hospitalar, com UTIs lotadas e fila de pacientes à espera de um leito. Em carta divulgada na segunda-feira, 1º, os secretários de saúde dos 26 Estados e do Distrito Federal afirmaram que o país vive o pior momento da pandemia e cobraram a adoção de medidas drásticas no combate ao coronavírus, como um toque de recolher nacional das 20h às 06h e o fechamento de praias e bares.

Concordaram com a proposta os Estados do Piauí, Paraíba, Bahia, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Mato Grosso, São Paulo, Pará, Distrito Federal, Alagoas, Minas Gerais, Ceará, Sergipe, Goiás, Maranhão, Amazonas, Paraná, Espírito Santo, Rio de Janeiro e Amapá.