Defesa de Chico Rodrigues diz que dinheiro achado com ele seria para pagar funcionários

Em nota, advogados do senador encontrado com dinheiro na cueca afirmaram que ele sofre linchamento ‘sem que haja qualquer prova contra sua conduta’

  • Por Jovem Pan
  • 19/10/2020 14h43
Jane de Araújo/Agência SenadoDefesa do senador afirmou que dinheiro era voltado para pagamento de funcionários

A defesa do senador Chico Rodrigues, encontrado com mais de R$ 30 mil escondidos na cueca durante ação da Polícia Federal em operação que investiga desvios de recursos contra novo coronavírus em Roraima, afirmou nesta segunda-feira, 19, que o dinheiro achado com ele era voltado ao pagamento dos próprios funcionários. Segundo posicionamento assinado pelos advogados Ticiano Figueiredo e Pedro Ivo Velloso, o parlamentar está ‘sendo linchado por ter guardado seu próprio dinheiro’.

“O dinheiro tem origem particular comprovada e se destinava ao pagamento dos funcionários de empresa da família do senador”, afirma trecho da nota, que pontua, ainda, que os recursos destinados para tratar a Covid-19 em Roraima continuam nas contas do governo “de forma que nem ele, nem ninguém, poderia deter esses recursos”. Os advogados também consideraram a reação de esconder o dinheiro nas roupas íntimas como impensada diante de algo considerado por eles como terrorismo policial.

“Ter dinheiro lícito em casa não é crime. O único ato ilícito deste caso é o vazamento dos registros da diligência policial arbitrária que ele sofreu”, afirma a defesa. Após ocorrido, um pedido do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, determinou que senado decidisse por afastamento de Chico Rodrigues do poder. O caso seguirá para plenário do STF.