Eduardo Bolsonaro chama seguidores para se manifestarem sobre voto impresso

No Twitter, o deputado federal declarou apoio à proposta indicando que ‘votou sim’ na consulta pública do Senado sobre o tema

  • Por Jovem Pan
  • 10/05/2021 18h12 - Atualizado em 10/05/2021 19h26
ESTADÃO CONTEÚDOAlém do deputado Eduardo Bolsonaro, seu pai, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), também apoia o voto impresso

Nesta segunda-feira, 10, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL) usou seu perfil no Twitter para convocar seus seguidores a se posicionarem de maneira favorável ao “voto impresso em 100% das urnas” em uma consulta pública sobre o tema. Na publicação, ele também declarou seu apoio à medida. “O Senado está realizando uma enquete sobre o voto impresso. A oposição se mobilizou e hoje, 413 mil pessoas votaram contra o voto impresso frente à 378 mil pessoas que votaram a favor. Eu votei sim. Vote no site do Senado”, escreveu. No Twitter, sua publicação ficou entre os assuntos mais comentados do dia.

Até o fim da tarde desta segunda-feira, a consulta pública do Senado registrou 434.050 votos contrários e 430.408 votos favoráveis à transformação da sugestão em lei. Mesmo pedindo a manifestação dos seguidores, o resultado da enquete sobre o voto impresso não determina se o projeto se tornará uma lei. A consulta pública serve apenas para indicar o posicionamento da população sobre a ideia legislativa. A população encaminhou ao Senado, ainda em 2018, a sugestão de transformar o voto impresso em lei. No entanto, desde então, a ideia permanece estagnada na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH).

Na última terça-feira, 4, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, determinou a criação de uma comissão para discutir o projeto de lei que determina a impressão de cédulas em papel na votação e na apuração de eleições. O projeto é da deputada Bia Kicis (PSL). Além do deputado Eduardo Bolsonaro, seu pai, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), também apoia o voto impresso. O chefe de Executivo afirmou na última semana que o voto impresso será adotado no Brasil caso o projeto de lei que o institui seja aprovado no Congresso. “Se não tiver voto impresso, é sinal de que não terão eleições! Acho que o recado está dado”, disse durante uma live na quinta-feira, 6.