‘Não sei o porquê de tanto medo’, diz Ana Paula após comentários de Barroso contra voto impresso

Falas do ministro Luís Roberto Barroso sobre credibilidade do voto nas urnas eletrônicas foi tema de debate dos comentaristas do programa ‘Os Pingos Nos Is’

  • Por Jovem Pan
  • 06/05/2021 19h00 - Atualizado em 06/05/2021 19h19
Divulgação/TSELuís Roberto Barroso, presidente do TSE, dá entrevista coletiva para falar das eleições de 2020

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, afirmou nesta quinta-feira, 6, que a aprovação do voto impresso criará um desejo imenso de judicialização do resultado das eleições e um caos em um sistema “que funciona muitíssimo bem”. “O nosso sistema de voto em urna eletrônica é totalmente confiável”, declarou em entrevista ao canal GloboNews. “Mesmo o voto impresso pela própria urna, eu acho que seria extremamente problemático e mexeria em um time que está ganhando”, finalizou o ministro. A deputada federal Bia Kicis (PSL-DF) elaborou um projeto para determinar a impressão de cédulas em papel na votação e na apuração de eleições, plebiscitos e referendos no Brasil. Na última terça-feira, 4, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, determinou a criação de uma comissão especial para discutir a proposta.

A comentarista do programa “Os Pingos Nos Is”, da Jovem Pan, Ana Paula Henkel, acredita que é necessário questionar por que há tanta resistência ao voto auditado no Brasil. “O Barroso defende que não se mexe em time que está ganhando, mas, se o time está ganhando, que tal ganhar de lavada?”, questionou. Ela recorda que quem defende o voto impresso não demoniza o sistema de votação atual e lembra que, em entrevista ao programa “Direto Ao Ponto”, da Jovem Pan, a deputada Bia Kicis elogiou as urnas eletrônicas. “É muito incômodo a gente ver o Barroso incomodado com a demanda pelo voto auditável”, opinou. Ela considerou “estranhas” as eleições dos Estados Unidos em 2020 e lembrou que auditorias ainda são realizadas no país norte-americano. Considerando que essa é apenas uma forma de melhorar “um sistema que já é bom”, a comentarista questionou o porquê de tanto medo. “Quando o Barroso fala em judicializar uma eleição, por que não judicializar uma coisa que pode ter uma dúvida no futuro? Acho que não tem problema nenhum nisso aí quando existem perguntas demais e não há respostas. Não sei por que tanto medo”, afirmou.

Confira o programa “Os Pingos Nos Is” desta quinta-feira, 6, na íntegra: