Facebook vai divulgar gastos de partidos e candidatos com publicidade eleitoral

A empresa disponibiliza a partir de hoje ferramentas para que qualquer pessoa possa acompanhar as ações publicitárias dos políticos no Facebook e no Instagram

  • Por Jovem Pan
  • 22/09/2020 13h01
Divulgação/FacebookFacebook promete aumentar a transparência sobre gastos com publicidade na plataforma

O Facebook anunciou nesta terça-feira (22) que vai divulgar os gastos de partidos e candidatos a cargos nas eleições municipais deste ano com anúncios na plataforma e no Instagram, além de empresas envolvidas com as eleições. A rede social disponibiliza a partir de hoje ferramentas para que qualquer pessoa possa acompanhar as ações dos políticos nas plataformas. Campanhas de publicidade no Facebook e Instagram com o selo “Pago por” ou “Propaganda Eleitoral” ficarão disponíveis por sete anos na biblioteca de anúncios. Ainda há o relatório de transparência, que mostra o total de anúncios sobre política e eleições criados no Brasil com um dos rótulos desde agosto de 2020, assim como o valor total gasto.

A ferramenta já está ativa e mostra que há 98.829 anúncios sobre temas sociais, eleições ou política no Facebook brasileiro desde agosto, com um total gasto de R$ 5.671.066. Nos últimos 30 dias, a página Brasil Paralelo foi a que mais gastou: R$ 236.822 por 2.270 anúncios. Ela é seguida pelas páginas Eleições 2020 – Cursos Online (Curso eleitoral, gastou R$ 75.318), Marcelo Vitorino (Consultor e professor de gestão de crise, comunicação e marketing político, gastou R$ 57.740), Nufoco Marketing Estratégico (Serviço de marketing na internet, gastou R$ 51.279) e Luisa Barreto (candidata à Prefeitura de Belo Horizonte pelo PSDB, gastou R$ 41.151). O candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PT, Jilmar Tatto, já gastou R$ 24.886 nas plataformas.

A empresa também explicou a criação de uma Interface de Programação de Aplicativo (API) que permite criar pesquisas personalizadas de anúncios com palavras-chave personalizadas armazenadas na Biblioteca de Anúncios. Para ter acesso à API, é necessário confirmar identidade e localização, criar uma conta de desenvolvedor do Facebook e adicionar um novo aplicativo. Em nota à imprensa, a empresa explicou que exige autorização para a exibição de anúncios políticos e relacionados às eleições. “Desde agosto, o Facebook não permite que anúncios sobre política ou eleições no Brasil sejam exibidos no Facebook e no Instagram no Brasil sem o aviso ‘Pago por’ ou ‘Propaganda Eleitoral’, conforme anunciamos em junho deste ano. Qualquer pessoa ou organização que queira fazer anúncios relacionados à política ou eleições no Facebook ou no Instagram no país precisa primeiro confirmar sua identidade e que ter uma residência no Brasil. Os anunciantes têm a opção de fornecer número do CNPJ ou CPF”, diz o comunicado.