Em vídeo, Zé Trovão diz que está no México e será preso ‘em alguns momentos’

Ministro Alexandre de Moraes, do STF, atendeu a um pedido da Procuradoria-Geral da República e determinou a prisão do caminhoneiro no dia 3 de setembro

  • Por Jovem Pan
  • 09/09/2021 14h47 - Atualizado em 09/09/2021 15h42
Reprodução/WhatsAppCaminhoneiro e blogueiro bolsonarista Osvaldo Eustáquio estão no México

Em um vídeo divulgado na tarde desta quinta-feira, 9, o caminhoneiro Marcos Antônio Pereira Gomes, conhecido como Zé Trovão, afirma que está no México e que deve ser preso nas próximas horas, antes de ser transportado para o Brasil. Na gravação, ele pede apoio a “todos os motoqueiros” do país e diz que eles precisam ir a Brasília para endossar as manifestações bolsonaristas que ocorrem na Esplanada dos Ministérios. Em outra publicação que também circula pelas redes sociais, Zé Trovão, considerado foragido da Justiça, ressalta que os caminhoneiros pedem a destituição de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e que, em razão disso, a categoria deve manter as paralisações que bloqueiam rodovias federais.

“Eu preciso da ajuda de vocês. Nós todos precisamos todos ir Brasília. Em alguns momentos eu devo ser preso. Eu não vou mais fugir. Chega. Chego, eu estou cansado disso. Para quem não sabe, estou no México e a Embaixada brasileira acaba de entrar em contato com o hotel em que estou. Em alguns momentos, provavelemnte, a polícia vem aqui me recolher, vai me levar preso. Eu não cometi nenhum crime. Estou indo para o Brasil, provavelmente, preso. Preso politcamente, preso por crime de opinião. Eu peço a todos os brasileiros. Tudo o que estou fazendo é pelo Brasil”, diz Zé Trovão no vídeo. Grupos bolsonaristas no WhatsApp também estão divulgando uma foto na qual o caminhoneiro aparece segurando uma bandeira do México ao lado do blogueiro bolsonarista Osvaldo Eustáquio.

O ministro Alexandre de Moraes atendeu a um pedido da Procuradoria-Geral da República e determinou a prisão de Zé Trovão no dia 3 de setembro, no âmbito do inquérito que apura a participação e o financiamento de atos antidemocráticos. Há duas semanas, o caminhoneiro também descumpriu uma ordem do STF e participou de uma live com Eustáquio, que chegou a ser preso em razão do inquérito das fake news e dos atos antidemocráticos.