Governadores vão se reunir com a ONU por ‘ajuda humanitária’ ao Brasil

Videoconferência com a secretária-geral adjunta, Amina Mohammed, ocorrerá na sexta-feira, 16, e terá como assunto principal a aquisição de mais vacinas contra a Covid-19

  • Por André Siqueira
  • 12/04/2021 17h55
Agência Senado/ReproduçãoFórum dos Governadores também prepara carta em que pede ajuda à China e aos Estados Unidos

No pior momento da pandemia do novo coronavírus no país, governadores vão se reunir, por videoconferência, na sexta-feira, 16, com a secretária-geral adjunta da Organização das Nações Unidas (ONU), Amina Mohammed. Os gestores estaduais apelam para que a ONU coordene uma ajuda humanitária ao Brasil, com foco na aquisição de mais vacinas contra a Covid-19. “O Brasil tantas vezes foi solidário com outros países do mundo em ajudas humanitárias. Agora, neste Pacto pela Vida, precisamos de ajuda humanitária do mundo, principalmente com mais vacinas, e confiamos na ONU para alcançar esta sensibilidade e resultados para salvar vidas”, diz o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), que coordena a temática das vacinas contra a Covid-19 no Fórum Nacional dos Governadores.

Além disso, a Jovem Pan apurou que os governadores preparam uma carta para os representantes da ONU, na qual pleiteiam ajuda da China para a importação do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), necessário para a produção das vacinas, e dos Estados Unidos, visando a venda de doses não utilizadas da vacina de Oxford. Isto porque a vacinação no Brasil ainda está em estágio inicial. Segundo dados do Ministério da Saúde, até o momento, foram aplicadas pouco mais de 27 milhões de doses dos imunizantes contra a Covid-19 – deste total, cerca de 6,2 milhões de pessoas receberam a segunda dose. A título de comparação, integram o grupo prioritário mais de 77 milhões de brasileiros. De acordo com o Conselho Nacional dos Secretários Estaduais de Saúde (Conass), o Brasil possui 354.617 mortes causadas pela doença.