Grupo de WhatsApp pró-impeachment reúne parlamentares, general e integrante do governo Temer

Deputado que integra chat privado disse à Jovem Pan que ideia é fortalecer diálogo que resulte na criação de ‘caminho efetivo’ que possa cessar ‘escalada autoritária’

  • Por André Siqueira
  • 08/09/2021 16h11
MATEUS BONOMI/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDOGrupo intitulado 'Pacificação Democrático' foi criado horas depois de Bolsonaro atacar STF em discursos a apoiadores

A discussão sobre a possibilidade de impeachment do presidente Jair Bolsonaro também acontece no WhatsApp. Pouco depois dos ataques proferidos pelo chefe do Executivo federal ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ao ministro Alexandre de Moraes, a quem chamou de “canalha”, um deputado federal do Progressistas (PP), mesmo partido do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), criou um grupo no aplicativo de mensagens para debater a crise institucional e mobilizar diversos atores políticos.

O grupo “Pacificação Democrática” foi criado por Fausto Pinato (PP-SP) e reúne parlamentares de diversos partidos, um general da reserva do Exército que já integrou o governo Bolsonaro e um ex-ministro do governo Michel Temer. Estão entre os membros do chat privado o vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos (PL-AM), os deputados federais Fábio Trad (PSD-MS), Kim Kataguiri (DEM-SP), Vinicius Poit (Novo-SP), o senador Alvaro Dias (Podemos-RS), líder da sigla no Senado, o general Santos Cruz (ex-ministro da Secretaria de Governo), o ex-ministro do governo Temer Carlos Marun, entre outros. “O Fausto Pinato ficou horrorizado com a fala do presidente Bolsonaro e resolveu criar o grupo. A ideia é reunir mais e mais deputados, lideranças políticas, para encontrarmos um caminho efetivo que faça cessar essa escalada autoritária”, disse Trad à Jovem Pan.