Mario Frias se revolta com uso de ‘todes’ pelo Museu da Língua Portuguesa: ‘Vandaliza a cultura’

Secretário especial da Cultura prometeu tomar medidas para impedir que se gaste dinheiro público em ‘piruetas ideológicas’

  • Por Jovem Pan
  • 24/07/2021 16h24 - Atualizado em 24/07/2021 16h24
Reprodução/Youtube/Jornal da Cidade OnlineMario Frias é o secretário especial da Cultura do governo Bolsonaro

O secretário especial da Cultura, Mario Frias, enfureceu-se com uma publicação do Museu da Língua Portuguesa usando o termo “todes”, empregado normalmente pelos adeptos da linguagem neutra. O estabelecimento comemorava o seu retorno após cinco anos fechado devido a um incêndio. “Nesta nova fase do MLP, a vírgula —uma pausa ligeira, respiro— representa o recomeço de um espaço aberto à reflexão, inclusão e um chamamento para todas, todos e todes os falantes, ou não, do nosso idioma: venham, voltamos.” Arrependido por liberar uma verba para a reforma do museu, ex-ator de “Malhação” mostrou-se arrependido e prometeu tomar medidas para impedir que se desprenda dinheiro público em “piruetas ideológicas”.

O governo federal investiu R$ 56 milhões nas obras do Museu da Língua Portuguesa para preservar o nosso patrimônio cultural, que depende da preservação da nossa língua. Não aceitarei que esse investimento sirva para que agentes públicos brinquem de revolução”, tuitou Frias. “Tomarei medidas para impedir que usem o dinheiro público federal para suas piruetas ideológicas. Se o governo paulista se comporta como militante, vandalizando nossa cultura, não o fará com verba federal.”