Pacheco afirma que sabatina de Mendonça no Senado deverá ser pautada ‘o mais brevemente possível’

Presidente da Casa afirmou que procedimento é de responsabilidade da Comissão de Constituição e Justiça e que seu presidente, Davi Alcolumbre, sabe da necessidade de ‘cumprir essa missão’

  • Por Jovem Pan
  • 24/09/2021 18h55 - Atualizado em 24/09/2021 19h16
WALLACE MARTINS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - 09/07/2021 Presidente do Senado disse ainda que está se empenhando para acelerar o processo

O presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), afirmou que a sabatina de André Mendonça, indicado a uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF) pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), deverá acontecer “o mais brevemente possível”. Em visita a São Paulo, o senador afirmou que o agendamento da sessão trata-se de uma atribuição da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa e que o presidente da Comissão, Davi Alcolumbre (DEM-AP), tem conhecimento da necessidade de realizar o procedimento. “A sabatina do ministro André Mendonça, a partir de indicação do presidente, é tarefa e missão constitucional da CCJ, que precisa designar uma data com esforço concentrado para presença física dos senadores em Brasília para que possa haver essa deliberação. Essa e outras indicações [estão] pendentes na CCJ. O presidente Davi Alcolumbre tem ciência da sua responsabilidade e da necessidade de cumprirmos essa missão. E eu acredito que isso possa se resolver muito brevemente, estou me esforçando muito para isso”, afirmou Pacheco. 

Diante da demora, senadores cobram agendamento da sabatina de Mendonça. Durante a sessão na CCJ, o senador Fernando Bezerra (MDB) fez um apelo à presidência da mesa. “Queria apelar para esse espírito que Vossa Excelência está possuindo de poder fazer uma indagação do nosso ministro André Mendonça. Vossa Excelência poderia definir a data para apreciação do ministro? Esse é o apelo que lhe faço”, afirmou. Já a cobrança feita pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania) foi mais enfática. A partir daí houve bate-boca com o presidente da CCJ, Davi Alcolumbre (DEM). “O senhor tem condição de apontar um único motivo republicano para não fazer o agendamento da sabatina?”, questionou Vieira, que recebeu uma resposta do colega. “Senador, depois que Vossa Excelência se lançou à presidência da República começou com essas frases de efeito”, disse Alcolumbre, que pediu respeito.