Podemos e União Brasil avançam por acordo para escolha de vice na chapa de Sergio Moro

Integrantes das duas legendas buscam um nome de consenso; presidente do partido que resultará da fusão entre DEM e PSL, Luciano Bivar (PE) é um dos cotados

  • Por André Siqueira
  • 20/12/2021 13h02
RENATO S. CERQUEIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO Ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, discursa durante lançamento de seu livro Moro se filiou ao Podemos no início do mês de novembro

Nos últimos dias, Podemos e o União Brasil, fruto da fusão do DEM com o PSL, avançaram na costura de um acordo para que o novo partido indique o vice na chapa do ex-juiz Sergio Moro, candidato à Presidência da República em 2022. À Jovem Pan, o vice-presidente nacional do PSL, Júnior Bozzella (SP), afirmou que o acerto “está bem resolvido”. O entendimento surgiu em uma reunião entre as cúpulas das duas siglas que ocorreu no início de dezembro. Integrantes das duas legendas buscam, agora, um consenso em torno do nome a ser escolhido – um dos mais cotados é o deputado federal Luciano Bivar (PSL-PE), que presidirá o União Brasil.

Dentro do Podemos, a ideia é bem vista em razão da capilaridade do União Brasil. Nos cálculos de políticos que acompanham as negociações de perto, a aliança oferecia a Moro palanques em aproximadamente 12 Estados. Parlamentares do PSL também afirmam que a eventual escolha de Bivar ajudaria a diminuir a resistência ao ex-juiz da Operação Lava Jato dentro do Congresso. O deputado pernambucano é o primeiro secretário da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados. “Do ponto de vista estratégico, é inteligente convencer o Bivar a ser o vice. Estamos vivendo uma equação política diferente, não é o mesmo ambiente de eleições anteriores. Os palanques estão sendo montados regionalmente antes do alinhamento com as candidaturas à Presidência. Há um sentimento de liberar os palanques nos Estados. No cenário em que o Bivar, presidente nacional do maior partido do país, saia como candidato a vice, é muito óbvio que os palanques apoiem o seu presidente enquanto candidato. É muito difícil que não haja essa fidelidade”, avalia Bozzella.

A ideia de emplacar Bivar como vice de Moro não é bem vista por todos os quadros do Podemos. Em entrevista à Jovem Pan, o senador Jorge Kajuru (Podemos-GO) manifestou sua preferência pelo nome do ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, tido como presidenciável por alas do União Brasil. “Ter o União Brasil contigo na disputa pela Presidência traz um ganho que você não pode questionar. É um partido que agrega em horário de TV, em palanques. Daí a colocar um vice-presidente que obrigatoriamente seja do partido, não concordo. Respeitarei a decisão, mas não concordo com o nome do Bivar. Dentro do DEM, há um nome melhor, que é o do ministro Mandetta. Bivar é um político de carreira, não é a cara de uma chapa de Sergio Moro”, pondera o senador.