Por 7 votos a 4, STF anula delação de Sérgio Cabral que cita Dias Toffoli

Relator do caso, Edson Fachin, votou contra a validação da delação, sendo acompanhado por Alexandre de Moraes, Dias Toffoli, Gilmar Mendes, Luiz Fux, Nunes Marques e Ricardo Lewandowski

  • Por Jovem Pan
  • 27/05/2021 21h03 - Atualizado em 27/05/2021 21h34
Dorivan Marinho/SCO/STF Sede do Supremo Tribunal Federal, em Brasília

O Supremo Tribunal Federal (STF) votou por anular a delação de Sérgio Cabral que cita o ministro Dias Toffoli. A decisão foi tomada durante votação nesta quinta-feira, 27, na qual sete ministros votaram a favor da anulação e quatro foram contrários. Segundo a assessoria do STF, a previsão é que o julgamento seja encerrado na sexta, 28. O relator do caso, Edson Fachin, votou contra a validação da delação, sendo acompanhado por Alexandre de Moraes, Dias Toffoli, Gilmar Mendes, Nunes Marques, Ricardo Lewandowski e Luiz Fux. Por outro lado, Rosa Weber, Cármen Lúcia, Marco Aurélio e Luís Roberto Barroso foram contra o relator. De acordo com o ex-governador, o ministro teria vendido sentenças favoráveis a dois candidatos a prefeituras fluminenses quando presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Por isso, teria recebido, entre 2014 e 2015, R$ 4 milhões pelo escritório de advocacia de sua esposa.